Vasectomia: tudo o que sempre quis saber

A vasectomia é um método contracetivo que ainda levanta muitas dúvidas. Conheça as suas vantagens e desvantagens e saiba como se preparar.

Vasectomia: tudo o que sempre quis saber
Conheça as vantagens e desvantagens da vasectomia

A vasectomia é um método contracetivo masculino e pode definir-se como uma esterilização definitiva ou temporária, por laqueação dos canais deferentes, com o objetivo de impedir a passagem dos espermatozóides e, deste modo, evitar a gravidez; ou uma resseção cirúrgica, parcial ou total, dos canais deferentes, também denominada de deferentectomia. É o equivalente no homem à laqueação de trompas na mulher.

Vasectomia: as respostas às dúvidas mais comuns

A vasectomia – esterilização masculina – é um dos métodos contracetivos mais eficazes. Com o objetivo de impedir a gravidez, esta é uma intervenção cirúrgica relativamente segura, que impede a libertação de espermatozóides quando o homem ejacula.

A vasectomia não altera qualquer outro comportamento sexual além de inviabilizar a reprodução.

Em casos raros, os vasos deferentes podem crescer e ligar-se novamente, tornando o indivíduo novamente fértil.

A vasectomia é reversível?

A vasectomia pode ser reversível, através de uma vasovasostomia, cirurgia que consiste em refazer a ligação entre os canais deferentes. No entanto, além de ser uma cirurgia morosa, complexa e dispendiosa, não garante sucesso (particularmente com o avançar dos anos após a vasectomia).

Assim, só se deve avançar para a vasectomia quando o homem ou o casal tem a certeza que não pretende ter (mais) filhos.

As alternativas podem ser, se a vasectomia não tiver sido feita há muitos anos, a recolha de espermatozóides diretamente do testículo para posterior inseminação artificial ou o congelamento de esperma antes da vasectomia.

Quais as vantagens da vasectomia?

Esta pequena cirurgia não acarreta grandes riscos e normalmente é efetuada com anestesia local. É extramente eficaz como método contracetivo e não interfere futuramente com a vida sexual.

Quais as desvantagens?

A vasectomia não protege contra doenças sexualmente transmissíveis. Por outro lado, não está totalmente garantida a irreversibilidade (é considerado um procedimento permanente).

Em casos raros, podem ocorrer complicações ligeiras, tais como: infeções, hemorragias, ou edema (inchaço).

Como é a preparação para a vasectomia?

A vasectomia é realizada, na maioria dos casos, com anestesia local. Nestes casos, a anestesia local é dada de cada lado do escroto, por cima dos testículos, precisamente no local onde é também feito o corte. Como é habitualmente um procedimento realizado em ambulatório (que dura entre 20 a 30 minutos), não é necessária qualquer preparação prévia.

Só em casos raros é que é efetuada com anestesia geral. Nestes casos, o homem não deverá comer nem beber durante um período de tempo específico (indicado pelo médico de clínica geral, urologista ou médico cirurgião) antes da intervenção.

Veja também: