A verdade sobre o prazo de validade dos alimentos

O prazo de validade dos alimentos não indica que está planeado um ataque de microrganismos, e produtos fora deste prazo podem ainda estar bons.

A verdade sobre o prazo de validade dos alimentos
O prazo de validade tem um propósito, mas não serve de lei

Quando chega a hora de atacar o frigorifico e nos deparamos com um alimento fora do prazo de validade surge sempre a dúvida: “será que é comestível?”.  Muitos consumidores usam o prazo de validade dos alimentos como critério, mas esta nem sempre é a melhor forma de saber.

Como ninguém gosta de deitar fora comida própria para consumo, a questão é complicada, mas há solução.
 

O prazo

O prazo de validade dos alimentos não indica a altura exata em que as bactérias o vão atacar e fazer com que este represente um risco para a sua saúde. 
Nos supermercados vai encontrar produtos com dois tipos de prazos para os produtos alimentares: 
  • o prazo limite de consumo – “consumir até”. Este prazo aplica-se apenas aos produtos que, por razões de segurança alimentar, não podem ser consumidos ou vendidos após essa data, como é o caso dos produtos frescos.
  • a data de consumo preferencial – “consumir de preferência antes de” – esta data não está relacionada com a segurança alimentar, por isso é permitido o consumo e a venda destes produtos após a data indicada.
 

Produtos fora da data de consumo preferencial? Sim!

A data de consumo preferencial é indicativa de qualidade máxima, ou seja, não quer dizer que o produto esteja estragado após essa data. Na GoodAfter.com encontra produtos seguros e a preços bastante inferiores, com reduções até 70%

 

Evitar o desperdício

Visto o prazo de validade dos alimentos não indicar um ataque de microrganismos, é preciso saber identificar quando um produto alimentar está ou não próprio para consumo, de modo a evitar o desperdício alimentar.

Vale a pena perder algum tempo a estudar para saber ver se um produto está ou não próprio para consumo. Alguns, como os ovos, têm truques – se colocar um ovo em água e este flutuar, é melhor não correr o risco. Outros produtos podem não os ter, mas é possível saber se estão bons com outros métodos. Com alguma pesquisa e umas perguntas bem colocadas pode aprender a fazê-lo.

Não se pode esquecer, no entanto, que em caso de dúvida o melhor é deitar fora – o risco acaba por não valer a pena.

 

Guardar devidamente os alimentos

Para poder fazer com que o prazo de validade dos alimentos conte para alguma coisa, deve fazer por conservá-los como deve ser.  No frigorifico os alimentos devem ser guardados com película aderente ou em caixas herméticas, de modo a evitar a transmissão de odores ou bactérias.

É sempre boa ideia saber como organizar os alimentos no seu frigorífico, para que possa aproveitar ao máximo o prazo de validade. Mesmo depois de este passar, verifique se a comida está boa, em vez de a deitar fora de imediato.

Normalmente, carne e peixe frescos devem apenas estar um ou dois dias no frigorifico, e caso fiquem mais tempo deve congelá-los.  Os ovos costumam aguentar-se cerca de uma semana, e artigos pré-embalados, depois de abertos, duram cerca de três dias.

Veja também: