Vinho do Porto: onde, quando e como beber

Originário da zona do Douro são imensos os tipos de vinho do Porto e todos eles têm características bastante diferentes. Descubra-as!

Vinho do Porto: onde, quando e como beber
Para beber e chorar por mais!

O Vinho do Porto é um vinho licoroso, produzido na Região Demarcada do Douro, sob condições peculiares devido a fatores naturais e humanos.

O processo de fabrico, baseado na tradição, inclui a paragem da fermentação do mosto pela adição de aguardente vínica, a lotação de vinhos e o envelhecimento. A adição da aguardente vínica ocorre antes do vinho ter terminado a sua fermentação, o que significa que o vinho vai reter a doçura natural da uva. Apesar de sobejamente conhecido como um vinho adocicado, o vinho do Porto pode apresentar variações que vão desde o muito doce até ao extra seco.

Um dos aspetos fascinantes do Vinho do Porto é a sua variedade de estilos, cada um com os seus próprios sabores característicos, desde o intenso frutado de um Reserva ou de um Late Bottled Vintage à opulência e complexidade de um Tawny de idade ou até à imponência sublime de um Porto Vintage, um vinho de alto teor alcoólico, com volume normalmente entre 19 e 22º.


Origem do Vinho do Porto

As primeiras expedições de vinho sob o nome de "Vinho do Porto” têm registo em 1678. Apesar do vinho ser produzido no interior do país, nas vinhas do Alto Douro, este vinho deve o seu nome à cidade costeira do Porto, a partir de onde é tradicionalmente exportado.

Até meados do século XX, o vinho era transportado pelo rio Douro em barcos especiais conhecidos por barcos rabelos. O vinho era então descarregado nas caves das casas de Vinho do Porto, que estão alinhadas nas ruas estreitas de Vila Nova de Gaia em frente ao centro histórico da cidade do Porto.

Aí o vinho era envelhecido, loteado, engarrafado e finalmente expedido. Em meados do século XVII, a Inglaterra adotou Portugal como o seu fornecedor de vinhos. No entanto, como o tempo de ligação entre os dois países era muito demorado, os britânicos adquiriram o hábito de adicionar uma quantidade de água ardente ao vinho para o estabilizar, evitando assim a sua deterioração. Mais tarde, surgiu a ideia de adicionar a aguardente durante o processo de fermentação, enquanto o vinho ainda se apresentava doce, frutado e forte. Assim, o vinho fica com um sabor adocicado e um elevado teor alcoólico.

Em 1756, as vinhas do vinho do Porto no Douro tornaram-se a primeira área vitivinícola no mundo a ser legalmente demarcada.


Subcategorias de Vinho do Porto


Porto Branco (White)

O Porto Branco é um vinho do Porto que difere dos demais devido à sua cor, doçura e período de envelhecimento. A sua produção é feita a partir de castas brancas, normalmente envelhecidas por dois ou três anos e apresenta estilos que vão do doce ao seco.

Os Porto Brancos jovens são, normalmente, oferecidos no início das refeições, enquanto que os envelhecidos, com um sabor mais intenso e encorpado, são preferencialmente servidos à sobremesa. Podem ser adquiridos por valores que começam nos 5€.

 

Porto Rosé

Vinho de cor rosada, obtido por maceração pouco intensa de uvas tintas e em que não se promovem fenómenos de oxidação durante a sua conservação. O preço de uma garrafa standard ronda os 8€.

 

Porto Ruby

Um vinho que mantém a sua cor tinta, mais ou menos intensa, e o aroma frutado e vigor dos vinhos jovens. O seu preço ronda os 5€.
Neste tipo de vinhos, por ordem crescente de qualidade, inserem-se as categorias Ruby, Reserva, Late Bottled Vintage (LBV) e Vintage.

 

Porto Ruby Reserva

O Ruby Reserva é um Vinho do Porto feito através de colheitas criteriosamente selecionadas, apresentando um sabor mais frutado e uma maior complexidade e estrutura do que o Ruby tradicional. Um reserva pode ser adquirido por cerca de 10€.

 

Porto Vintage

O Vintage é considerado por muitos apreciadores como um dos melhores vinhos do Porto da atualidade. Produzido a partir de uma única colheita especial, trata-se de um vinho de excelente qualidade, encorpado e de coloração forte. Este tipo de Vinho do Porto está à venda por preços que começam nos 15€ e pode atingir valores inimagináveis conforme o ano de casta.

 

Late Bottled Vintage

Assim como o Vintage, o Late Bottled Vintage (LBV) é proveniente de um único ano. Contudo, passa mais tempo a ser envelhecido em barris de madeira para que a evolução oxidativa possa ser extremamente lenta. Este tipo de vinho é geralmente engarrafado entre quatro a cinco anos após a sua produção e tem um aspeto suave e encorpado e uma coloração avermelhada.

Com cerca de 15€ já consegue comprar este tipo de vinho do Porto. Mas se quiser escolher uma edição mais limitada, prepare-se para abrir a carteira...pode chegar aos 1.000€!

 

Estilos de Vinho do Porto


Porto Ruby

Este rótulo é dado aos vinhos mais jovens, geralmente com idades entre os três e os cinco anos.
Subcategorias: Ruby, Reserva, Late Bottled Vintage (LBV) e Vintage.

 

Porto Tawny

Este é um Vinho do Porto menos encorpado e com cores mais suaves, quando comparado com o Ruby.
Subcategorias: Tawny, Tawny Reserva, Tawny com Indicação de Idade (10 anos, 20 anos, 30 anos e 40 anos) e Colheita

 

Principais marcas

Em termos oficiais, o verdadeiro vinho do Porto é aquele que é produzido no Vale do Douro, Assim sendo, ainda que existam estilos semelhantes aos do Porto produzidos em outras partes do mundo, eles não são considerados Porto verdadeiros.

As marcas de referencia são Croft, Fonseca, Graham´s, Ramos Pinto, Quinta do Vallado, Taylor´s Porto, Ferreira, Sandeman, Offley, Real Companhia Velha.

 

Como degustar

Normalmente, o Porto é servido a uma temperatura entre 15 a 20 graus Celsius, com exceção do Branco e do Tawny, que podem ser degustados um pouco mais gelados.

O vinho do Porto serve-se em pequenas quantidades e o copo deve ser ligeiramente menor do que o de vinho branco tradicional, com a parte superior mais estreita que o corpo. Deve encher-se apenas até a metade para permitir uma melhor oxigenação do vinho e maior valorização do sabor e do aroma.

Conjuga bem com queijos, frutos secos (como nozes) ou chocolate negro.

Veja também: