4 programas de voluntariado no estrangeiro para seniores

Um guia completo para quem acredita que a idade não impede de ajudar os outros. Temos dicas úteis e 4 programas de voluntariado no estrangeiro para seniores

4 programas de voluntariado no estrangeiro para seniores
Voluntariado sénior? Uma excelente causa em jogo

Procura uma forma de ajudar o próximo e viver novas experiências de vida, mas não sabe por onde começar? Que tal participar numa missão de ajuda e sair das fronteiras? Se todas as opções que encontra são voltadas para os mais jovens, temos uma boa notícia para si: reunimos 4 programas de voluntariado no estrangeiro para seniores. Tome nota de todos os intercâmbios que selecionamos para si.
 

O voluntariado em Portugal

Quando o assunto é ajudar os outros, os portugueses gostam de afirmar que fazem a sua parte. Ajudamos os amigos, os vizinhos, os colegas de trabalho, os conhecidos e desconhecidos. Certo? Na verdade, o que os números oficiais mostram é que quase toda a ajuda é feita fora das organizações oficiais.

Portugal é um dos países da União Europeia que menos mostra a participação em movimentos de voluntariado – um dado que é alarmante para a comunidade. Com uma baixa taxa de interação com este tipo de programas, os portugueses passam ao lado de importantes trabalhos de ajuda – e deixam de experienciar algumas grandes oportunidades, como viajar, conhecer novos lugares e pessoas, e aproveitar para treinar o inglês.

Este artigo reuniu 4 sugestões para quem que dar o passo seguinte e oferecer mais de si aos outros, mas não sabe como começar.

 

Voluntariado sénior: uma atividade a ter em conta

Os programas de voluntariado têm um papel fundamental nas sociedades e um efeito difícil de calcular. E se as causas falam por si, existem iniciativas que abrangem ainda mais situações. São os programas inteiramente direcionados ao público sénior, que visam a promoção do envelhecimento ativo. A razão das iniciativas é clara: cresce o número de idosos na Europa e a tendência demográfica, que leva os jovens para as grandes cidades, contribui para a desertificação de grande parte do território.

Mas as vantagens do voluntariado sénior vão mais além: este tipo de atividade contribui para aproximar gerações e fazer surgir novas oportunidades e benefícios para todos.
 

Porquê fazer voluntariado sénior no estrangeiro?

O envelhecimento na Europa provoca uma onda de exclusão social e, ainda que os idosos de hoje usufruam de melhores condições de vida, muitas vezes vivem em solidão e deixam de estar ativos na sociedade. Por isso mesmo, é necessário encontrar novas estratégias para que a população de seniores participe na vida cultural e social da Europa, mesmo após a reforma.

O voluntariado, não há dúvidas, é uma das atividades mais escolhidas e mais apreciadas pelos idosos. É através deste tipo de trabalho que eles sentem que estão a contribuir para a sociedade, estando integrados na comunidade e mantendo um ritmo de vida ativo e saudável. As pessoas que já ultrapassaram as barreiras da juventude, e somam mais números na idade, têm um enorme apetite e capacidade de ajuda, mas infelizmente essas são habilidades ainda pouco reconhecidas.

Uma forma de tornar a atividade ainda mais enriquecedora e prazerosa para todos é optar por um programa que permita um intercâmbio para fora de fronteiras. Para além de manter o idoso ativo, este tipo de projeto contribui para dar continuidade ao processo de aprendizagem social, pessoal e intercultural.

Estar fora do mercado de trabalho pode ser difícil para quem trabalhou uma vida inteira. Manter-se ativo e encontrar novas opções de atividades é essencial para ganhar em qualidade de vida.
 

4 Programas de voluntariado no estrangeiro para seniores

 

1. Senior Activator Program: Fundação Eugénio de Almeida

A Fundação Eugénio de Almeida, em parceria com instituições de Espanha e Hungria, criou um programa de voluntariado sénior que abraça o desafio de gerar maiores oportunidades para aqueles que têm uma idade mais avançada.

Com o objetivo de promover a cooperação internacional na desafiante tarefa de contribuir para o envelhecimento ativo, educando os idosos através da aquisição de novas competências, o projeto oferece apoio e formação para quem quer sair do país e dar ajuda a quem mais precisa.

As oportunidades incluem:

  • Aprendizagem das metodologias aplicadas na gestão de atividades de voluntariado internacional;
  • Conhecimento de diferentes práticas e contextos de voluntariado;
  • Novas experiências e vivências interculturais;
  • Assistência especializada durante o processo de envelhecimento.

 

2. Mais Valia

Este é mais um dos projetos de voluntariado que não foi criado a pensar nos jovens. Ele faz parte da rede de iniciativas da Fundação Calouste Gulbenkian e é inteiramente direcionado a pessoas que tenham mais de 55 anos e que estejam profissionalmente envolvidas com as áreas da saúde, da educação e das artes.

O destino dos voluntários que fazem parte do programa Mais Valia é qualquer país conhecido como PALOP, ou seja, países africanos que têm o português como língua oficial.  As missões duram, em média, dois meses e podem participar desempregados, reformados ou mesmo aqueles que ainda estão a trabalhar, mas podem gozar de umas férias mais compridas.
 

3. Sénior Plus

Este é mais um projeto de voluntariado internacional que nasceu a pensar da educação dos adultos com mais de 50 anos, que procuram por novas oportunidades de crescimento pessoal e de carreira. O objetivo central é aumentar as hipóteses de empregabilidade a partir desta idade e, por isso, os candidatos não podem estar integrados no mercado de trabalho.

A iniciativa é uma cooperação transfronteiriça entre entidades de Portugal, Reino Unido, Letónia, Itália e França.
O Sénior Plus é um projeto que conta como o financiamento do programa Erasmus Plus, que promove a mobilidade dentro dos países que são membros da União Europeia. O programa inclui a aprendizagem de técnicas de voluntariado sénior.
 

4. Nações Unidas

O Programa de voluntariado das Nações Unidas é uma organização da ONU que surge para contribuir para o desenvolvimento social e para a paz em todo o mundo, através da prestação de serviços voluntários. Anualmente, oito mil pessoas de 160 países são selecionadas para fazer uma missão de seis meses, que podem ser realizadas em um dos 130 países onde as Nações Unidas atuam.

O programa não é direcionado para um público específico. Os candidatos precisam ter mais de 25 anos e dois anos de experiência na área de candidatura, não havendo uma idade limite para realizar a inscrição. São inúmeras as formas de participar nas ajudas, não sendo necessário que esteja em terreno. Pode colaborar, por exemplo, exercendo funções de secretariado e atuando na parte burocrática do processo.

Veja também:

Os mais vistos