Publicidade:

Estes são os voos cancelados da Ryanair. Saiba o que fazer

A Ryanair decidiu cancelar diversos voos durante as próximas seis semanas. Vai ser prejudicado? Saiba o que pode fazer.

Estes são os voos cancelados da Ryanair. Saiba o que fazer
Nas próximas seis semanas

“Fizemos asneiras com a calendarização das férias dos nossos pilotos e estamos agora a tentar resolver essa situação”. É assim que a Ryanair anuncia o cancelamento de 40 a 55 voos diários durante as próximas seis semanas, uma situação que irá afetar cerca de 400 mil passageiros. Foi um dos infelizes contemplados? Saiba o que pode fazer.

A Ryanair cancelou entre 40 a 55 voos

A companhia aérea viu-se obrigada a cancelar entre 40 a 55 voos diários nas próximas seis semanas devido a um erro de planeamento nas férias dos pilotos. Essa é, pelo menos, a justificação oficial que a Ryanair deu. Outra das razões também já descobertas reside no facto de a Norwegian ter “roubado” cerca de 140 funcionários, à rival irlandesa.

Nos comentários à publicação realizada pela Ryanair no Facebook podia ver-se diversos utilizadores a pedir a lista de voos cancelados para que pudessem organizar as férias e encontrar alternativas. A operadora aérea informou que informaria por e-mail todos os passageiros afetados mas acabou por partilhar uma página onde estão todos os voos cancelados até ao próximo dia 31 de outubro.

O meu voo da Ryanair foi cancelado?

A partir do Porto…


19/09

Voo 2093 para Lisboa

Voo 3734 para Lorient

Voo 7458 para La Rochelle

Voo 7459 para La Rochelle

Voo 8348 para London Stansted

20/09

Voo 2093 para Lisboa

Voo 7472 para Eindhoven

21/09

Voo 9135 para Paris Beauvais

Voo 6532 para Marseille

22/09

Voo 4703 para Milão Bergamo

Voo 6532 para Marseille

Para o Porto…


19/09

Voo 3733 de Lorient

Voo 7458 de La Rochelle

Voo 8347 de London Stansted

20/09

Voo 2094 de Lisboa

21/09

Voo 9134 de Paris Beauvais

Voo 6531 de Marseille

22/09

Voo 4702 de Milão Bergamo

Voo 6531 de Marseille

A partir de Lisboa…


20/09

Voo 2094 para Porto

21/09

Voo 1887 para London Stansted

23/09

Voo 1791 para Luxemburgo

Voo 1798 para Toulouse

Para Lisboa…


19/09

Voo 2093 de Porto

20/09

Voo 2093 do Porto

23/09

Voo 1792 de Luxemburgo

Voo 1799 de Toulouse

A partir de Faro…


19/09

Voo 4087 para Manchester

Voo 9207 para London Luton

21/09

Voo 9143 para London Stansted

23/09

Voo 9143 para London Stansted

Para Faro…


19/09

Voo 4088 de Manchester

Voo 9206 de London Luton

22/09

Voo 9282 de London Stansted

23/09

Voo 9142 de London Stansted

As indicações sobre os voos cancelados de 25 de setembro a 28 de outubro podem ser vistas aqui.

aeroporto

O que fazer

A forma mais fácil de resolver esta situação é seguir as duas opções que a Ryanair disponibiliza aos passageiros afetados: pedir um reembolso ou mudar o voo. As duas opções estão disponíveis no mesmo portal em que a empresa anunciou os voos cancelados.

Que compensação é que a Ryanair deve dar?

Regra geral, uma companhia aérea deve devolver o preço do bilhete e pagar mais 250 euros de compensação, para voos até 1.500 quilómetros, ou 400 euros, para voos de 1.501 a 3.500 quilómetros. Se o voo for cancelado com um aviso de duas semanas, porém, a empresa não é obrigada a pagar essa compensação.

A Ryanair pode ainda tentar remarcar o voo cancelado, contudo, a hora de partida não deve divergir mais de 60 minutos da hora original e a hora de chegada não pode divergir mais de 180 minutos da hora original.

A Ryanair é obrigada a pagar por hotéis caso obrigue os passageiros a passar a noite noutro país?

Sim, deve. Na UE as companhias aéreas são obrigadas a oferecer refeições, e até um local para pernoitar, caso seja necessário. É, porém, necessário que a parte interessada guarde todos os recibos… e, claro, que não abuse no local que escolher ou em tudo o que pede para o quarto.

Isso afeta serviços como o Airbnb. É possível ser compensado por isso?

Não, não é.

É possível levar a Ryanair a tribunal?

Sim, claro que é! Mas só o trabalho que pode dar… é que a UE permite que todos os casos legais têm de ser tratados nos tribunais irlandeses, país natal da companhia.

Veja também: