250 milhões de euros da UE para a regeneração urbana lisboeta

A União Europeia (UE) financiará, no âmbito do Plano de Investimento para a Europa, a regeneração urbana em Lisboa.

250 milhões de euros da UE para a regeneração urbana lisboeta
Capital recebe 250 milhões de euros

A capital portuguesa beneficiará de financiamento para a regeneração urbana no valor total de 250 milhões de euros. O Plano de Investimento para a Europa apoiará várias cidades europeias, mas o município de Lisboa é mesmo primeiro a ser apoiado.

O Banco Europeu do Investimento já assinou com a Câmara Municipal de Lisboa um acordo que libertará a primeira parte do financiamento, para já no valor de 100 milhões de euros.


Financiamento europeu para a regeneração urbana em Lisboa

Os principais objetivos deste financiamento para a regeneração urbana de Lisboa prendem-se com o combate às alterações climáticas e também com a promoção da habitação social, como forma de inclusão social.

O financiamento europeu vem complementar um investimento total no valor de 530 milhões de euros, onde 280 milhões serão investimento privado e da autarquia. O plano deve ser executado nos próximos quatro anos.



As explicações do autarca

Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, avança que o plano de investimento para 2016-2020 terá três focos principais: plano de drenagem, regeneração urbana e habitação social. O autarca explica que o objetivo maior é conseguir “uma cidade com mais qualidade de vida, devolvida às pessoas, mais humana, mais segura e mais confortável”.

Para isso, são precisos mais espaços públicos e menos automóveis, o que se traduzirá em menos poluição e maior qualidade de vida para os habitantes da capital. Além disso, estas medidas visarão também o combate aos problemas ambientais, isto é, proteger a cidade das intempéries que acabam por prejudicar bastante a vida na cidade de Lisboa.

O investimento, segundo afirmações de Fernando Medina, visará ainda o apoio e desenvolvimento a novas empresas, criando centros empresariais, nomeadamente através da requalificação de um antigo quartel militar, que se transformará num dos maiores centros empresariais para start-ups da Europa.

Este investimento traduzir-se-á em 37 escolas, 7 creches, 26 espaços verdes, 400 fogos de habitação social, aumento dos lugares de estacionamento e a intervenção efetiva e preponderante em 26 bairros da capital.

Veja também: