AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Apenas 18% dos alunos de cursos profissionais seguem para o superior

Dos mais de 22 mil estudantes que, no ano letivo 2013/2014, concluíram o ensino secundário em cursos profissionais, só 18% prosseguiram os estudos.

Apenas 18% dos alunos de cursos profissionais seguem para o superior
Os dados são da Direcção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência

Só 18% dos alunos que frequentaram cursos profissionais dão continuidade aos estudos.

Os números são revelados no relatório “Transição entre o Ensino Secundário e Superior”, elaborado pela Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC).

O estudo, que analisou a realidade do ensino em Portugal, revela que dos mais de 22 mil estudantes de cursos profissionais que, no ano letivo 2013/2014 concluíram o ensino secundário, apenas 18% prosseguiram os estudos.

Em proporções muito diferentes surgem os alunos que, no mesmo ano letivo, completaram o ensino secundário mas em cursos cientifico-humanísticos. Diz o estudo que dos mais de 38 mil alunos que frequentaram esta vertente de ensino, cerca de 84% continuou a estudar. Destes 84%, 80% dos alunos ingressou no ensino superior e 4% manteve-se a estudar no ensino secundário.

O estudo da DGEEC explica esta discrepância com o facto de “os cursos científico-humanísticos serem a modalidade do ensino secundário tradicionalmente mais vocacionada para o prosseguimento de estudos superiores”. Diz ainda que apesar da “dupla certificação concedida pelos cursos profissionais” permitir também “o prosseguimento de estudos - seja ao nível do ensino superior, seja ao nível do ensino pós-secundário”, os números indicam que “na prática, esta é uma possibilidade utilizada por relativamente poucos alunos” destes cursos, o que – segundo o relatório da DGEEC – se pode dever ao facto dos “alunos diplomados dos cursos profissionais” terem, em média, maiores “dificuldades em obter bons resultados no concurso de acesso ao ensino superior do que os seus colegas do ensino científico-humanístico”.

O estudo chama ainda atenção para o facto de “os alunos diplomados dos cursos profissionais terem atualmente, em média, menor expectativa e intenção de prosseguir estudos superiores do que os seus colegas dos cursos científico-humanísticos”, sendo “a via científico-humanística a modalidade de ensino secundário vista como a mais vocacionada para o prosseguimento de estudos superiores”.

Mas até nos cursos secundários científico-humanísticos, se verificam diferenças. Por exemplo, dentro da área, o curso de Ciências e Tecnologias é o que tem a maior taxa de prosseguimento de estudos (85%, ao passo percentagem mais alta do que a que se verifica entre os alunos de Línguas e Humanidades – apenas 71% prosseguem estudos).

Veja também: