Quer receber a melhor informação sobre impostos ?

Inscreva-se já e receba todas as dicas e notícias atualizadas ao minuto.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt e pelos nossos Parceiros

Enviar

Aumento do IVA provoca quebras nos ginásios

Desde o aumento do IVA para 23% que os ginásios sentem a perda de clientes, que se espera que chegue aos 25% este ano. O curioso é que estas quebras atingem quer as grandes como as pequenas empresas, além disso, a concorrência das empresas municipalizadas também vem agravar esta situação.

Aumento do IVA provoca quebras nos ginásios
Consequências da revisão do IVA

Cada vez mais clientes desistem dos seus contratos com os ginásios, quer as grandes cadeias, quer os ginásios mais pequenos.

De acordo com José Luís Costa, presidente da Associação de Ginásios de Portugal, o aumento do IVA fez com que 60 mil clientes desistissem de frequentar ginásios, entre Fevereiro de 2010 e Fevereiro deste ano.

Na altura da discussão do Orçamento do Estado, a Associação previa que a alteração no IVA provocasse um impacto de 15%, mas a estimativa está a aumentar para os 20% a 25% de quebras.

Aliado ao problema do IVA vem a concorrência, mais notória no interior, uma vez que não existem clientes que justifiquem o investimento privado, além disso é quase impossivel fazê-lo pois os privados não têm preços para concorrer com operadores públicos e associativos.
A concorrência é de facto um problema, mesmo em grandes cidades como Porto e Lisboa, onde empresas municipalizadas ou de cultura e recreio afirmam que estão isentas do IVA.

Com o aumento das despesas e a diminuição nas receitas, muitos ginásios estão a viver uma situação perigosa que inclui incumprimento no pagamento aos seus colaboradores, encerramentos e cortes aos pessoal.

Existem até já alguns clubes, inclusivamente alguns conceituados da zona do Porto e Lisboa, que tentam vender as unidades, pois as entradas nos ginásios são bem inferiores às saídas.

O sector está a atravessar uma fase muito complicada, que pode ameaçar postos de trabalho de recém licenciados em Educação Física, que na sua maioria têm colocação em academias de fitness.

 

Veja também: como calcular o IVA