Oito cidades europeias protestam contra plataformas como o Airbnb

Representantes de oito cidades europeias uniram-se na defesa da regularização de plataformas como a Airbnb.

Oito cidades europeias protestam contra plataformas como o Airbnb
Menos turistas, por favor

A cidade de Amesterdão foi palco de uma conferência onde se discutiu o arrendamento turístico na Europa e onde diversos países se debruçaram sobre problemas que o fluxo turístico tem causado. Uma conferência que motivou a criação de um protesto, por parte de oito cidades europeias, contra as regras aplicadas às plataformas de arrendamento Airbnb e Booking.

Airbnb e Booking debaixo de fogo

airbnb 2

Barcelona, Madrid, Bruxelas, Paris, Cracóvia, Viena, Reiquejavique e Amesterdão uniram-se para protestar contra as regras aplicadas às plataformas de arrendamento Airbnb e Booking. Numa carta enviada à Comissão Europeia, estes municípios referem que as enchentes de turistas se estão a tornar incontroláveis e que estas plataformas devem ser obrigadas a partilhar dados.

As plataformas de arrendamento permitem o anonimato dos proprietários dos imóveis listados e até de quem os arrenda. Anonimato que não agrada aos representantes dos oito municípios que pretendem que as plataformas sejam “legalmente obrigadas a partilhar dados com os reguladores”.

É impensável que estas plataformas não tenham de partilhar as suas informações”, afirmou Laurens Iven, vice-presidente da Câmara de Amesterdão. “Os dados que pretendemos são a identidade do proprietário do imóvel e a de quem o arrenda”, referiu antes de acrescentar que quando tenta obter estas informações juntos da plataforma estas recusam, afirmando que “estão protegidas pelas leis comerciais digitais europeias”.

Durante a conferência foi ainda referido que o grande fluxo turístico tem provocado vários incómodos nestas cidades como “o barulho constante das rodas de malas no pavimento” ou o barulho provocado por “demasiados turistas num apartamento partilhado”. Sinais de descontentamento que se têm vindo a sentir em toda a Europa.

Recorde-se que a Holanda já procurou regularizar a visita de turistas ao país. A partir de 2019, os holandeses apenas poderão arrendar os seus imóveis durante 30 dias por ano sendo que o número de residentes por imóvel está também limitado a quatro pessoas.

Veja também: