Desemprego em Portugal: Comissão Europeia defende reformas estruturais

Há novos dados sobre o desemprego que defendem uma melhoria do desempenho da zona euro, mas ainda é preciso fazer mais.

Desemprego em Portugal: Comissão Europeia defende reformas estruturais
Desemprego baixou, mas é preciso fazer mais
  • Eurostar divulgou novos dados sobre desemprego

Numa altura em que acabam de ser divulgados os novos dados da Eurostar em relação ao desemprego, sabe-se que “os números representam os resultados de desemprego mais baixos dos últimos três anos”, o que acaba por registar o melhor desempenho da zona euro desde março de 2012 ou julho de 2011. No entanto, após a tomada de conhecimento destes dados, a Comissão Europeia já referiu que são necessárias “reformas estruturais, investimento e disciplina orçamental por parte dos Estados-Membros, de forma a que os resultados do desemprego possam melhorar”.
  Em declarações aos media, a porta-voz de Jean-Claude Juncker assegura que “a comissão está a encorajar fortemente as reformas estruturais ao nível nacional. Isso é um dos pontos principais da nossa agenda para o crescimento e emprego, incluindo o plano de investimento para a Europa, de 315 mil milhões de euros, que poderá criar 1,3 milhões novos empregos na Europa", acrescentando ainda que "o executivo comunitário também está a trabalhar na união energética, no mercado único digital”.

A Comissão Europeia defende que estas iniciativas criarão mais oportunidades de emprego para os europeus, garantindo a porta-voz que “o que realmente precisamos para o crescimento económico e criação de empregos é o o triângulo virtuoso entre reformas estruturais, investimento e responsabilidade orçamental, porque não há uma bala mágica para crescimento. Mas, isto só significa que, tendo conseguido agora resultados encorajadores, só precisamos de continuar por este caminho”, conclui.


Veja também: