Consumo de combustível é superior ao anunciado pelas marcas

Um estudo da Federação Europeia dos Transportes e Ambiente revelou que o consumo de combustível é superior ao anunciado pelas marcas.

Consumo de combustível é superior ao anunciado pelas marcas
Diferença média de 42%.

Esta semana, o mundo automóvel acordou para um novo escândalo. Depois da grande polémica das emissões da Volkswagen, surge agora uma nova controvérsia que acusa várias fabricantes de automóveis. Segundo um estudo da Federação Europeia dos Transportes e Ambiente (FETA), o consumo de combustível é superior ao anunciado pelas marcas.
 
O estudo foi realizado com base em testes de laboratório e o consumo real em estrada e afirma que há sinais claros de manipulação, por parte das marcas, dos dados relativos à eficiência no consumo. Uma manipulação que poderá ter um peso médio anual de 450 euros no bolso dos condutores europeus.
 
Para além do dinheiro gasto, o estudo verificou que existe uma diferença média de 42% entre as quantidades anunciadas e o combustível gasto na estrada. Uma diferença no consumo de combustível que, em 2012, era apenas de 28%. A Mercedes é a marca que lidera a lista de fabricantes com a maior diferença (acima dos 50%) entre o consumo de combustível real na estrada e o consumo medido em testes de laboratório.
 
A FETA defende que os testes realizados foram conduzidos em ambiente de laboratório e, por isso, apresentam lacunas e vários graus de flexibilidade. Apesar de tudo, e cientes dos problemas que podem existir nos testes de laboratório, a entidade classificou como “inexplicáveis” as disparidades no consumo de combustível entre laboratório e estrada superiores a 50%.


Veja também: