Cortar nas telecomunicações

Tendo em conta o clima de austeridade que vivemos, os portugueses ponderam sobre as suas despesas com o telemóvel, internet móvel e telefone fixo, e de acordo com um estudo da IBM, os consumidores vão mesmo cortar com estas despesas.

Cortar nas telecomunicações

Havendo rendimentos cada vez mais reduzidos, procura-se reduzir despesas ao máximo e as telecomunicações são uma das despesas afectadas.

Foi realizado um estudo - "IBM 2011 Global Telecom Consumer Survey", a 24 países, a mais de 13 mil consumidores. Entre esses países, Portugal foi um dos entrevistados, com uma amostra de 310 consumidores.

Os resultados revelaram que no mercado português, 39% planeia diminuir os gastos com o telemóvel e a internet móvel, e 40% tem a mesma intenção para com as despesas com a rede fixa. Aliado a estas respostas, os consumidores portugueses também revelaram que não estão completamente satisfeitos com os serviços prestados pelas empresas de telecomunicações.

Devido a essa insatisfação, 63% considera a hipótese de mudar de operadora e 17% continuam fiéis.

O estudo aproveita para deixar conselhos às operadoras de telecomunicações, tendo em conta os resultados dos inquéritos online, que revelaram que existe uma fraca percepção por parte dos consumidores quanto ao valor que pagam, existindo também uma má interpretação da factura, inclusive quando esta é detalhada.

Apesar deste descontentamento, a maior parte dos consumidores não reclama por não acreditarem que valha a pena e por considerarem uma perda de tempo ligar para call-centers.

Por estes motivos, o estudo deixa o mote para as operadoras, para que estas tentem perceber onde estão a falhar, para que possam melhorar. Além disso, sugerem uma maior atenção às redes sociais, pois assim como servem para os consumidores publicarem a sua insatisfação, também pode ter o outro lado da moeda, que é a angariação de clientes.