Crédito Habitação - Taxa implícita sobe há 8 meses

Fevereiro foi o 8º mês consecutivo que a taxa de juro implícita aos contratos de crédito habitação subiu e agora situa-se nos 2,144%, tendo aumentado 0,043% em relação a Janeiro. Além disso, comprar casa agora pode implicar uma taxa de juro superior a 6%, principalmente devido ao aumento dos spreads.

Crédito Habitação - Taxa implícita sobe há 8 meses

Tendo em conta dados do INE - Instituto Nacional de Estatística, desde Junho de 2010, data em que se registou o valor mínimo, a taxa de juro já aumentou 0,341%, nos últimos 8 meses.

Fevereiro é o 8º mês consecutivo de aumentos na taxa de juro implícita aos contratos de crédito habitação e situa-se agora nos 2,144%, tendo aumentado 0,043% em relação a Janeiro.
Apesar de tudo, foi um aumento menor face ao que se verificou entre Dezembro e Janeiro.

Ainda de acordo com o INE, as taxas de juro aumentaram em Fevereiro para todos os períodos, "embora de menor intensidade que os verificados em Janeiro".

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu em Fevereiro 0,113% face a Janeiro para 3,073%.

"Comparativamente a Março de 2010, mês em que se atingiu a taxa mínima da série, o aumento acumulado foi de 1,055 pontos percentuais", segundo fonte do INE.

Nestes contratos, o valor da prestação média vencida aumentou sete euros face ao mês anterior, situando-se nos 352 euros.

Nos contratos celebrados nos últimos seis meses o aumento da taxa de juro implícita mensal foi de 0,140%, com a prestação média a situar-se nos 342 euros, e 0,101% nos contratos celebrados nos últimos 12 meses, fixando-se a prestação neste caso em 329 euros.

O valor médio em dívida para os contratos em vigor situou-se nos 56.946 euros em Fevereiro, mais 48 euros que em Janeiro.

Por destino de financiamento, os valores médios de dívida nos contratos de aquisição de habitação aumentaram 44 euros no caso da construção de habitação.