Degustação de vinho estimula mais o cérebro que matemática

Sabia que a degustação de vinho é estimulante para o cérebro? A conclusão é de Gordon Shepherd, um neurocientista.

Degustação de vinho estimula mais o cérebro que matemática
Mais uma razão para não esquecer a dose recomendada

A degustação de vinho é estimulante para o cérebro e pode ter um impacto ainda maior do que a matemática. As palavras são de Gordon Shepherd, um reconhecido neurocientista.

Degustação de vinho é estimulante para o cérebro

vinho

A destreza, a habilidade, a dificuldade e até mesmo a dedicação necessária para degustar verdadeiramente um bom vinho levaram o neurocientista Gordon Shepherd a considerar esta atividade como estimulante para o cérebro, segundo refere ao NPR.

No livro que publicou recentemente, Neuroenologia: Como o cérebro cria o sabor do vinho, o neurocientista argumenta que a degustação de vinho é estimulante para o cérebro e tem ainda mais impacto do que ouvir música ou resolver um problema matemático.

No livro, Gordon Shepherd debruça-se sobre todo o processo que o vinho desencadeia mal é colocado no copo e abraça o palato – a aparência, o aroma, a cor, a consistência… e a forma como podemos degustar vinho. “Não basta pôr vinho na boca e deixá-lo lá. É preciso movê-lo e depois engolir, um ato complexo”, diz.

Veja também: