Simulador de Crédito - Milhares de Portugueses já experimentaram!

Em menos de 1 minuto, gratuito e sem compromisso.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt e pelos nossos Parceiros

SIMULAR

É o fim do 13º e 14º meses para sempre?

A União Europeia não descartou a possibilidade de os portugueses virem a ficar sem o subsidio de férias e de Natal permanentemente. Os sindicatos já reagiram afirmando que tal decisão é inconstitucional.

É o fim do 13º e 14º meses para sempre?

De forma a financiar a ajuda externa, uma das medidas da troika foi suspender o pagamento dos subsídios de férias e Natal este ano e em 2013, sendo o seu pagamento reposto em 2014.

No entanto, a Comissão Europeia colocou a hipótese de estes subsidios serem cortados permanentemente à função pública e pensionistas.

Para o secretário-geral da UGT, João Proença, se essa decisão avançar, viola totalmente a Constituição Portuguesa, além disso, quereria dizer que estariamos em crise toda a vida, daí a necessidade do permanente corte dos subsidios de férias e de Natal.

O partido socialista exige que o Governo reaja a este possivel medida, até porque considera este silêncio como uma prova de que nos deixamos governar a partir de Bruxelas.

O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE) vai mais longe e defende que se o Governo aceitar estas possiveis medidas, então o Governo deve demitir-se, porque no fundo, nem sequer precisamos do Governo, já que as decisões partem de Bruxelas.