Engel & Völkers cresceu 33,2% na Península Ibérica

Em 2016, o grupo Engel & Völkers registou um aumento do volume de negócios de cerca de 100 milhões de euros.

Engel & Völkers cresceu 33,2% na Península Ibérica
Sucesso que ultrapassa fronteiras

O grupo Engel & Völkers, referência internacional no sector da mediação imobiliária no segmento de luxo, continua a registar um crescimento assinalável e sustentando. Durante o ano de 2016, o grupo registou um aumento do volume de negócios de cerca de 100 milhões de euros, alcançando um total de 506,3 milhões de euros e estabelecendo um novo recorde nos seus resultados financeiros anuais.

“Este resultado é, claramente, o reflexo do sucesso da nossa expansão global”, afirmou Christian Völkers, fundador e CEO da empresa.

Na Península Ibérica os números também se revelaram bastante animadores com o volume total de transações do grupo a crescer 33,2%, atingindo os 1.425,95 milhões de euros, valores que convenceram a Engel & Völkers a olhar de outra forma para a região e a criar um novo cargo diretivo para gerir os três mercados.

Juan-Galo Màcia, recentemente designado Diretor-Geral da Engel & Völkers para Portugal, Espanha, e Andorra, já estabeleceu os objetivos para os próximos anos. “Queremos manter um crescimento sustentado de 15 franchisings por ano, até alcançar um total de 150 em Espanha”, afirmou.

Em Portugal, os resultados também foram bastante positivos. Em 2016, o volume total de transações realizadas ultrapassou os 52 milhões de euros – um incremento de 10,8% – com destaque para as operações de venda que cresceram 55,7%.

O sucesso da Engel & Völkers, contudo, ultrapassa as fronteiras da Península Ibérica. O crescimento do grupo também foi notável em países como Itália, Alemanha, Suíça ou Bélgica. Fora da Europa, o destaque vai para a América do Norte onde a marca abriu novas agências de imóveis residenciais, o que resultou num aumento de 55,3% das receitas de comissão.

A Engel & Völkers está em Portugal desde 2006 e conta, atualmente, com oito agências – Aveiro, Cascais, Estoril, Parque das Nações (Lisboa), Restelo (Lisboa), Sintra, Quinta do Lago e Lagos (Algarve) – e licenças atribuídas em Comporta, Albufeira e Vilamoura. Até 2018, a marca planeia expandir-se ampliando a rede de intervenção a todo o país.

Veja também: