Esquerda quer Euribor negativa. E agora?

Partidos da esquerda querem alteração na taxa Euribor, o que pode significar perdas para os bancos.

Esquerda quer Euribor negativa. E agora?
Se a taxa Euribor for negativa, os bancos podem ficar prejudicados

A taxa Euribor tem vindo a ser recorrentemente motivo de notícia nos últimos anos. Aplicada aos créditos à habitação, é talvez das taxas que mais mexe com o rendimento das famílias portuguesas, podendo interferir fortemente no orçamento familiar e, por consequência, na disponibilidade financeira para investir.

Segundo notícia avançada nos últimos dias, os partidos mais à esquerda no parlamento querem “obrigar” as instituições bancárias a aplicar as taxas Euribores negativas. Em suma, se as taxas Euribores chegarem a ser mesmo negativas, isso pode significar uma perda para o banco.

Os partidos alegam que existe uma diretriz do Banco de Portugal que revela que “a Euribor negativa tem de ser aplicada e descontada ao spread pago”. A esquerda pretende assim que esta diretriz seja posta em lei. No entanto, se isto acontecer, “os bancos podem ser obrigados a deduzir o capital em dívida, ou seja, a diminuir a fatura a pagar por quem pediu um empréstimo”.

Segundo um estudo da DECO, se tiver um empréstimo de 150 mil euros, com prazo de 30 anos e um spread de 0,3 por cento e euribor a seis meses, a média Euribor será de um valor negativo de 0.134 por cento. Isto somado ao spread prefaz uma taxa de financiamento de 0.166 por cento, o que significa uma prestação de pouco mais de 400 euros mensais. 

Veja também: