Publicidade:

Estudo de Natal: portugueses continuam a preferir as lojas físicas

Estudo de Natal da Deloitte conclui que o recurso a lojas físicas mantém-se fortemente enraizado nos hábitos de compra dos consumidores portugueses.

Estudo de Natal: portugueses continuam a preferir as lojas físicas
Apesar das pesquisas online

Em Portugal, segundo o estudo de Natal da Deloitte, “o canal mais utilizado para compra de todas as categorias de produtos é a loja física, com um peso superior a 89%”, apesar de recorrem à internet para pesquisa online de produtos.

Os consumidores portugueses preferem os motores de busca para pesquisa online dos produtos potencialmente entregues em formato digital como vídeo jogos, música, filmes e viagens. Enquanto que, indica o estudo de Natal, as redes sociais são utilizadas essencialmente para verificação de preços, procura de ideias para presentes e pesquisa de produtos pela generalidade dos consumidores nacionais.

65% dos inquiridos continua a utilizar as lojas físicas como fonte para “ideias e conselhos” e do total de consumidores que utiliza a Internet, 64% pesquisa e/ou compara produtos em websites de marcas com uma ou mais lojas físicas.

Os consumidores portugueses indicam os jornais e revistas e a solicitação direta como as fontes de inspiração menos utilizadas para presentes.

9 em cada 10 portugueses continua a preferir fazer as suas compras natalícias em lojas físicas, sobretudo em centros comerciais. Apenas 11% dos portugueses inquiridos neste estudo de Natal afirmaram nunca realizar compras online, verificando-se ainda assim uma redução superior a 30% face à mesma época no ano passado.

O estudo de Natal 2017 revela que 89% dos inquiridos preferem comprar os seus presentes nas lojas físicas, seguindo-se a compra online através do computador, que 45% dos consumidores mencionam.

Pedro Miguel Silva, associate partner de Retail & Consumer Products da Deloitte, explica que o recurso às lojas físicas se mantém “fortemente ancorado nos hábitos de consumo da população portuguesa”.

Apesar disso, “a utilização de canais digitais desempenha um papel cada vez maior na jornada de compra, em particular na busca de inspiração e pesquisa de produtos e nas categorias de lazer e eletrónica de consumo”, adianta. “Esta evolução decorre da maior integração entre as presenças física e digital dos retalhistas”.

Consulte o estudo de Natal 2017 da Deloitte na integra aqui.

Veja também: