Estudo: gadgets e redes sociais afetam saúde dos jovens

Estudo da Organização Mundial de Saúde sublinha que gadgets e redes sociais afetam saúde dos jovens.

Estudo: gadgets e redes sociais afetam saúde dos jovens
Problemas estão associados à ausência de exercício

Gadgets e redes sociais afetam saúde dos jovens. Esta é a conclusão de um estudo realizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em jovens a partir dos 11 anos, em 42 países. E o tempo que os jovens dedicam a estes “passatempos” não para de aumentar.

Gadgets e redes sociais afetam saúde dos jovens

O aumento do tempo de utilização de gadgets e redes sociais tem levado os jovens a uma vida cada vez mais sedentária. Para além disso, segundo o estudo apresentado pela OMS, o decréscimo de tempo dedicado à atividade física também tem vindo a ser cada vez mais evidente.

O estudo revela um crescimento contínuo de utilização de gadgets e redes sociais entre 2002 e 2014, ao ponto de crianças e jovens dispensarem duas horas ou mais, todos os dias, para navegar na internet, utilizar as redes sociais ou fazerem os trabalhos de casa.

Para realizar o estudo, a OMS enviou questionários a mais de 200 mil crianças espalhadas por escolas de 42 países.

Jo Inchley, líder do estudo, revelou que o aumento da utilização se deve, em grande parte, ao crescimento das redes sociais. Entre os riscos apontados por Inchley estão doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes.

Veja também:

Nuno Margarido Nuno Margarido

Jornalista formado pela Universidade de Coimbra, assume-se uma pessoa curiosa e até a mais simples engrenagem ou linha de código o fascina. Os seus interesses dividem-se por vários mundos, com destaque para a tecnologia, o gaming, o vídeo, a fotografia e o cinema.