Fantasporto arranca hoje e o mote é o"cinema dos nossos tempos"

A partir de hoje, o Rivoli recebe a 37º edição do festival, que este ano inclui 132 trabalhos de 35 países.

Fantasporto arranca hoje e o mote é o
Será um festival com dois focos: o cinema fantástico e o oriental

O Festival Internacional de Cinema Fantasporto dá hoje início à 37.ª edição, com o chamado pré-Fantas, antes da abertura oficial, que acontece na sexta-feira, com um cartaz virado para o que a organização designa de “cinema dos nossos tempos”.

Descrito pelos organizadores, numa das conferências de imprensa que antecederam o arranque do evento, como “um festival generalista com dois focos, o cinema fantástico e o oriental”, o certame inclui este ano 132 filmes de 35 países diferentes que vão ser exibidos até 05 de março no Rivoli.

“O tema deste ano é o cinema dos nossos tempos, porque tanto na área fantástica como na área generalista temos filmes que retratam a história dos nossos tempos, nomeadamente dos conflitos”, realçou, na altura, a diretora do evento, Beatriz Pacheco Pereira.

O festival

O festival começa hoje, às 21:30, com dois filmes de duas das linhas da programação: “The Swordsman of All Swordsmen”, de Joseph Kuo, no âmbito da retrospetiva de cinema de ação de Taiwan, e “Malditos sean!”, de Fabián Forte e Demián Rugna, no contexto da retrospetiva do cinema argentino.

A abertura oficial de sexta-feira vai dar-se com o sulcoreano “The Age of Shadows”, de Jeewoon Kim, realizador já premiado no festival português por “A Tale of Two Sisters”.

Em competição marcam presença três filmes portugueses, todos em antestreia mundial: “A Floresta das Almas Perdidas”, “Comboio de Sal e Açúcar” e “A Ilha dos Cães”, o último trabalho em cinema do ator Nicolau Breyner, homenageado na edição anterior.

De acordo com a organização, estreia ainda a longa-metragem “Rewind”, uma produção suíça do português Pedro Joaquim, e o Prémio de Cinema Português “vai novamente escolher o melhor filme e a melhor escola de cinema” de entre nove instituições nacionais.

O Prémio Carreira do Fantasporto vai, em 2017, para o cineasta holandês Ate de Jong, que esteve no festival em 2016, e serão exibidos os filmes “Drop Dead Fred”, de 1991, bem como o novo filme “Love is Thicker Than Water”.

Adicionalmente, na sequência da já anunciada parceria com a TV Globo, vão estar no festival as atrizes Mariana Ximenes (“Super Max”), Marina Ruy Barbosa (“Amorteamo”) e a argumentista Gloria Perez, esta para apresentar “Dupla Identidade”.

“O festival conta ainda com a colaboração habitual da Universidade do Minho, Universidade de Trás os Montes e Douro, Universidade Católica do Porto e Universidade Lusófona de Lisboa, assim como muitas outras escolas e institutos politécnicos, num concurso entre escolas que já vem sendo um tradição imprescindível”, acrescentou o festival em comunicado.

Veja também: