FMI fala em aumento da idade da reforma e de alguns impostos

Apesar de cada Governo ter diferentes objectivos, o FMI continua a vincar a vontade de aumentar alguns impostos nos países com economias desenvolvidas.

FMI fala em aumento da idade da reforma e de alguns impostos
Aumento de impostos continua em discussão na Europa

A notícia já não é nova, mas a verdade é que num relatório hoje divulgado, o Fundo Monetário Internacional (FMI) voltou a insistir na necessidade de aumentar a idade da reforma. Intitulado “Política Orçamental e Desigualdades Sociais”, o relatório reforça a posição do FMI, que assume que para além da idade da reforma também é preciso aumentar os impostos sobre a propriedade nas economias desenvolvidas, visando alcançar uma melhor distribuição dos rendimentos referentes aos países cujas economias são consideradas desenvolvidas.

Segundo o Fundo Monetário, “cada governo tem diferentes objectivos de redistribuição de rendimentos e não há um conjunto de políticas que seja a melhor prática para uma redistribuição eficiente dos recursos”.

Aumento de impostos

Christine Lagarde refere que a necessidade de aumentar os impostos sobre a propriedade nas economias desenvolvidas, surge uma vez que “estes impostos são equitativos e eficientes e há margem para os aumentar em muitos países... uma margem considerável que permite explorar este imposto de forma mais completa, quer como fonte de receita, quer como instrumento redistributivo”, conclui.

As taxas sobre transacções

Outro assunto que tem estado em cima da mesa na Europa, são as taxas sobre transacções financeiras. O FMI considera que estas "podem ter custos sociais significativos, devido por exemplo aos elevados custos do capital e ao encorajamento de esquemas que evitem o pagamento do imposto”.

Veja também: