Governo lançou 60 medidas para a Indústria 4.0

O Governo lançou um conjunto de 60 medidas para a iniciativa “Indústria 4.0 - Economia Digital”.

Governo lançou 60 medidas para a Indústria 4.0
Uma estratégia nacional para a digitalização da economia.

Manuel Caldeira Cabral, ministro da Economia, lançou em Leiria um conjunto de 60 medidas no âmbito da iniciativa “Indústria 4.0 - Economia Digital”. Um projeto que vai envolver 50 mil empresas e prevê mais de 2.000 milhões de euros de investimento nos próximos anos.

O objetivo é que “Portugal chegue à Indústria 4.0, a esta revolução que está já acontecer, que chegue no pelotão da frente e não que chegue como chegou noutras revoluções industriais, atrasado, e que perca este comboio”, salientou o governante.

No conjunto de 60 medidas para a Indústria 4.0, Manuel Caldeira Cabral refere várias que incluem formação e capacitação de recursos humanos, de cooperação tecnológica, de adaptação legal e normativa, “medidas de amplo espetro que o que pretendem é fazer com que haja uma aceleração dos processos de digitalização de indústria”. “Estas medidas vão incluir, por exemplo, na área da formação, 20 mil pessoas em ofertas de formação de competências digitais, vão mobilizar fundos estruturais dedicados à Indústria 4.0 em 400 milhões [de euros], vão envolver 50 mil empresas em medidas incluídas na estratégia nacional de digitalização da economia”, referiu.

“No total, obviamente que grande parte deste investimento será feito pelas empresas, pela indústria, pela colaboração de empresas de setores industriais e startups [empresas em início de atividade] digitais, o que se prevê é que nos próximos anos haja mais de 2.000 milhões [de euros] de investimento em Portugal em inovação dirigida à área de digitalização da indústria, da digitalização das atividades”, concluiu o ministro da Economia.

Durante o evento foi ainda assinado um protocolo de cooperação entre o Governo e a COTEC - Portugal. Jorge Portugal, diretor-geral da associação empresarial para a inovação, referiu que o lançamento deste conjunto de 60 medidas é um passo chave para alcançar a Indústria 4.0. “Para as empresas em geral, incluindo as menos preparadas, o programa Indústria 4.0 constitui uma oportunidade única de repensar os modelos de negócio, quer ao nível da qualidade e eficiência dos processos produtivos, quer em novas possibilidades de gerar valor para os clientes. Há por isso um sentido de urgência na mobilização de todas as empresas e outros agentes económicos.
Ao apoiar a exploração as tecnologias digitais em ambiente empresarial - desde ferramentas de marketing digital e comércio eletrónico até modelos colaborativos entre trabalhadores humanos e autómatos - o programa i4.0 permitirá reduzir o esforço de investimento, de aprendizagem e riscos tecnológicos neste complexo processo de transição”, referiu Jorge Portugal em declarações ao DN.


Veja também:

Continuar a Ler