Governo reduz previsão de crescimento

As expetativas de crescimento caíram para 1,2%, cerca de um terço a menos do apontado no início.

Governo reduz previsão de crescimento
Efeitos já no OE de 2017.

O Governo está a antecipar um crescimento económico de 1,2% para este ano, cerca de um terço abaixo do que era expectável no Orçamento de Estado de 2016 – a previsão inicial era de 1,8%. Já no próximo ano, a economia portuguesa não deverá crescer mais do que 1,5%.

No Orçamento do Estado e no Programa de Estabilidade de 2016, o Executivo antecipou inicialmente um crescimento de 1,8%. E, nem no pior cenário do OE ou na Carta enviada à Comissão Europeia para defender o cancelamento das sanções, se anteviu um cenário de crescimento inferior a 1,4%. Contudo, o Governo diz agora que este valor não será superior a 1,2%.

No próximo ano, a economia deverá avançar 1,5%. Já o défice orçamental deverá ficar acima dos 1,4% previstos no Programa de Estabilidade.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) também já lançou as suas previsões sobre a economia portuguesa e os resultados não são animadores. Para 2016, o FMI aponta para um crescimento de 1% e para 2017 cerca de 1,1%. Números abaixo do esperado pelo Governo.

A revisão das metas orçamentais tem sido uma tarefa recorrente em solo português. Recorde-se que, em junho, Mário Centeno admitiu que a economia não teria o desempenho previsto no arranque do ano.


Veja também: