Guerra pelos depósitos

Instalou-se a guerra pela captação dos depósitos dos clientes, o que está a fazer com que o Banco de Portugal tenha que intervir para controlar os juros dos depósitos a prazo, além de provocar um aumento dos spreads do crédito habitação, devido ao aumento dos custos com os depósitos.

Guerra pelos depósitos

 

O arrendamento é uma opção que começa a ser considerada por muitas famílias devido ao restrito acesso a um crédito habitação, além do aumento dos spreads, motivado pela guerra que existe entre os bancos pela captação de depósitos.

Os bancos têm que arranjar forma de garantir o financiamento dos custos que têm com estes depósitos e a forma que encontram é reflectir esses custos nos spreads dos créditos habitação.

No último ano que passou, a taxa de juro média dos depósitos a prazo passou dos 1,36% para 3,33% e é por estes valores que o Banco de Portugal quer intervir para travar esta guerra e precaver situações que coloquem em risco a solidez dos bancos.

O que vai ser analisado é se a rendibilidade oferecida é adequada à situação financeira de cada banco, tendo já sido enviado uma circular, no mês passado, que obriga as instituições financeiras a comunicarem ao Banco de Portugal se existem depósitos a prazo com juros superiores em três pontos percentuais à taxa Euribor aplicável ao período de cada aplicação.

Vai ser tudo passado a pente fino, todos os depósitos e todas as instituições.