Há 49 mil milhões “perdidos” na economia paralela

Estimativas indicam que há 49 mil milhões a circular na economia paralela. Uma verba avultada que pode dar muito jeito ao Estado…

Há 49 mil milhões “perdidos” na economia paralela
Uma soma bastante avultada…

Segundo algumas estimativas presentes num relatório do Observatório de Economia e Gestão de Fraude (OBEGEF), a economia paralela atingiu aproximadamente 49 mil milhões de euros em 2015. Uma verba que poderia encher os cofres públicos com 9,7 mil milhões de euros em receitas, valor que cobriria o défice e ainda deixaria algum excedente orçamental.

Fazendo as contas, podemos perceber que o peso da economia paralela representa mais de 27% no PIB português. Uma verba considerável, sendo necessário recuar até 2010 para encontrar um valor mais elevado.

O peso da economia paralela em Portugal é bastante superior à média da OCDE, fixada nos 16,4%. E segundo o relatório da OBEGEF, a proliferação deste tipo de atividades reflete “a fraude, o branqueamento de capitais, o aumento dos conflitos de interesse, o uso de informação privilegiada, a desregulação e o enfraquecimento do Estado”.

Em 1970, a economia paralela representava apenas 10,17% do PIB nacional, ou seja, um total de 121 milhões de euros. Mas a tendência tem sido de crescimento ao longo dos anos, aumentando em média 0,4% anualmente, concluiu o OBEGEF.


Veja também: