Há quem ainda acredite num segundo resgate para Portugal

Se as taxas de juro voltarem a subir, Portugal pode voltar a estar em maus lençóis. O fantasma de um segundo resgate ainda está bem presente.

Há quem ainda acredite num segundo resgate para Portugal
Professor da Universidade de Columbia, nos EUA, acredita ser possível um segundo resgate

Numa altura em que estamos todos com sede de boas notícias e que sabe bem saber que o país possa estar finalmente, num rumo certo para sair da crise, ainda persiste o fantasma do segundo resgate, que é assumido por alguns especialistas da área.
Segundo notícia avançada, Ricardo Reis, professor na Universidade de Columbia, nos EUA, defende que Portugal “não está livre de um segundo resgate”. O professor indica que caso as taxas de juro voltem a subir, Portugal não se conseguirá afastar de um pedido de segundo resgate.

A notícia, avançada pelo jornal de Negócios, revela que esta opinião do académico Ricardo Reis é partilhada por outros académicos que estão a participar esta segunda e terça-feira numa conferência intitulada “Afirmar o futuro”, realizada em Lisboa, na Fundação Calouste Gulbenkian. Este encontro tem como objectivo debater as políticas públicas para o país. Até ao fecho da notícia, Ricardo Reis, que é um dos académicos convidados, defendeu que “há instrumentos que podem ser usados a curto prazo e que permitam reduzir o risco de um segundo resgate”. Segundo o próprio, “estes instrumentos dependem exclusivamente das autoridades nacionais e passariam, poe exemplo, pela criação de instrumentos de mutualização de dívida na Europa”.


Veja também: