PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

Mais 16 médicos nos hospitais do Alto Minho

A partir de outubro, os hospitais do Alto Minho vão contar com mais médicos graças à abertura de um concurso publicado em Diário da República, em julho passado. 

Mais 16 médicos nos hospitais do Alto Minho
A notícia foi avançada pela administração da ULSAM

Os hospitais do Alto Minho vão contar com mais 16 médicos a partir de Outubro. A notícia foi avançada pela administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM), que é composta pelo Hospital de Santa Luzia (em Viana do Castelo), o Hospital Conde de Bertiando (em Ponte de Lima), treze centros de saúde, uma unidade de Saúde Pública e duas de convalescença. No total, a ULSAM serve uma população residente superior a 250 mil pessoas.
 

Mais médicos para áreas fundamentais

Em declarações à Agência Lusa, Frankelin Ramos, presidente do conselho de administração da ULSAM, afirmou que a entidade estima “que durante o mês de outubro os 16 médicos especialistas estejam colocados na ULSAM que, atualmente, está carente de alguns especialistas”.

Frankelin Ramos disse ainda que estes novos profissionais de saúde vão preencher "áreas fundamentais", onde a ULSAM "tem poucos especialistas". “Com a colocação destes médicos a ULSAM fica numa situação muito boa tendo em conta a realidade do país e tendo em conta que o distrito de Viana do Castelo, apesar se ser uma região do litoral, tem características de interior e não é fácil captar profissionais para aqui", afirmou.

O presidente do conselho de administração da ULSAM adiantou ainda que os especialistas contratados vão ocupar vagas nas especialidades de anestesiologia, cardiologia, gastroenterologia, ginecologia/obstetrícia, medicina física e de reabilitação, medicina interna, oftalmologia, oncologia, ortopedia, pediatria médica, pedopsiquiatria, pneumologia, urologia, imuno-hemoterapia e neurologia.

A contratação destes 16 novos profissionais resulta da abertura, pelo Ministério da Saúde, de um concurso publicado em Diário da República, a 11 de Julho.

Veja também: