Descubra quais os imóveis históricos que passam para privados

O Turismo de Portugal vai concessionar 30 imóveis históricos a privados, para que estes façam a sua gestão.

Descubra quais os imóveis históricos que passam para privados
Descubra quais são

Mosteiro do Lorvão, em Penacova, o Forte de São Pedro, no Estoril, ou o Santuário do Cabo Espichel, em Sesimbra… três dos trinta imóveis históricos que o Turismo de Portugal vai concessionar a privados.

Entre os interessados estão investidores nacionais da área de hotelaria, como o Grupo Pestana e as Pousadas de Portugal, assim como grupos internacionais de outras áreas.

A concessão dos imóveis históricos a privados faz parte do Programa Revive – um programa que pretende reabilitar mosteiros, fortes, antigos quartéis ou conventos que, sem utilização, têm sido condenados ao abandono e alguns estão em estado de ruína. Para se candidatarem ao programa, os privados tiveram de criar um projeto onde constasse a reabilitação dos edifícios – estima-se um valor de cinco milhões, por edifício – e o posterior aproveitamento do espaço como hotel, restaurante ou museu.

Do grupo de imóveis históricos fazem parte o Convento de Santa Clara, em Vila do Conde, o Mosteiro do Lorvão em Penacova ou o Mosteiro de Sanfins de Friestas em Valença. Mais a Sul, o Palácio de Manique do Intendente na Azambuja, o Forte do Rato em Tavira, o Santuário do Cabo Espichel em Sesimbra ou o Forte de São Pedro no Estoril.

Veja também:

Continuar a Ler