IRS? Governo garante que as famílias não vão pagar mais

Nesta "reentré", Mário Centeno já tranquilizou os portugueses relativamente ao IRS.

IRS? Governo garante que as famílias não vão pagar mais
Governo não vai mexer no IRS

Férias terminadas e o regresso à rotina traz notícias também no campo político. Com o novo Orçamento do Estado à porta, já começaram as polémicas em torno das alterações que podem existir para as famílias portuguesas. Mas o ministro das Finanças, Mário Centeno, já marcou a “reentré” referindo que “a "trajetória de redução da carga fiscal" vai ser mantida e que as famílias portuguesas, quando preencherem o IRS, não vão pagar mais impostos diretos no próximo ano.

Estas declarações de Centeno foram feitas na reunião dos ministros das finanças da zona euro na passada semana, onde o ministro fez questão de tranquilizar os portugueses garantindo que o próximo Orçamento do Estado não contemplará alterações de taxas em termos de IRS. Por outro lado, há um “compromisso em relação à redução da sobretaxa que será mantido”.

No entanto, é preciso referir que as famílias pagam impostos sobre o que recebem e consomem. É esta a equação que faz com que paguem menos ou mais impostos na altura de preencher o IRS, sendo que Centeno não pode “responder se no conjunto de todas essas decisões as famílias vão ou não pagar mais”. No entanto, deixa uma garantia aos portugueses: mais impostos diretos, não.

No seu discurso, Centeno refere ainda que a trajetória definida pelo Governo é para manter e que o próximo Orçamento do Estado vai “ser contruído exatamente nesses termos”.

A data limite para o Executivo de António Costa apresentar o Orçamento é de 15 de outubro. 


Veja também: