Quer receber a melhor informação sobre impostos ?

Inscreva-se já e receba todas as dicas e notícias atualizadas ao minuto.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt e pelos nossos Parceiros

Enviar

IVA mais alto sobre os bens de 1ª necessidade

Portugal entre os países da União Europeia que optou pela subida generalizada do IVA como medida para combater a crise.

IVA mais alto sobre os bens de 1ª necessidade
A subida so IVA para combater a crise

Como é sabido, desde 1 de Julho o IVA normal de 20% passou para 21%, como uma forma de o Governo responder à crise.
Agora, juntamente com outros 3 países da U.E - República Checa, Grécia e Letónia - o Governo também decidiu aumentar a taxa reduzida do IVA de 5% para 6% que é a taxa que recai sobre os bens de 1ª necessidade, como é o caso de alimentos, água, medicamentos, transportes, etc.

 

Consequentemente, a subida da taxa reduzida  e normal do IVA levou também à subida da taxa intermédia de 12% para 13%. Esta subida generalizada do IVA como medida à redução do défice público e forma de impressionar a UE e os restantes mercados internacionais já havia sido anunciada no âmbito do plano de austeridade.

 

Nem todos os países optaram pelo agravamento do IVA para combater a crise. Já Portugal foi um dos 11 países a escolher esta medida. Apesar de tudo não somos dos países que mais subiu a taxa do IVA, uma vez que ocupamos o 5º lugar na lista de países com a taxa de IVA normal mais alta da UE.

 

O IVA é aquele imposto que os consumidores menos se apercebem que estão a pagar pois aparece camuflado no preço final do produto, no entanto, é o imposto que mais receitas gera para o Estado. Além disso, é o imposto mais desigual que existe, contribuido ainda mais para a injustiça fiscal pois é cobrado o mesmo valor tanto aos ricos como aos pobres.

 

Veja também: