Lisboa: rede de bicicletas partilhadas vai entrar em testes

A capital prepara-se para receber a fase de testes da rede de bicicletas partilhadas: no entanto, data para o início ainda não está definida.

Lisboa: rede de bicicletas partilhadas vai entrar em testes
Data de arranque para o projeto ainda não foi anunciada

A Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL) havia anunciado no início do ano a abertura da fase de testes para a rede de bicicletas partilhadas para março. Porém, as infraestruturas necessárias para o arranque dos testes ainda não estão prontas. Assim, a EMEL ainda não consegue avançar com uma data precisa para o início deste projeto na capital.

Bicicletas partilhadas: projeto ainda procura sponsor

As infraestruturas estão a ser criadas no Parque das Nações, mas todo o processo técnico está a ser bastante demorado. Assim, ao contrário do que tinha sido anunciado, a esta altura ainda não é possível testar a rede de bicicletas partilhadas em Lisboa.

Em fevereiro a EMEL começou a aceitar inscrições de voluntários para participarem da fase de testes, mas essas pessoas ainda não receberam qualquer informação sobre a data de arranque dessa fase. Sabe-se que a empresa está ainda em fase de captação de patrocinador para o projeto e que, só depois disso, será possível concretizar a montagem de todos os equipamentos necessário para o projeto.

lisboa

Nos planos estão previstas 1410 bicicletas, sendo que a maioria serão elétricas, distribuídas por quase uma centena e meia de estações pela capital portuguesa. O investimento poderá rondar os 23 milhões de euros, do qual faz parte o contrato de prestação de serviços com a empresa Órbita, durante 8 anos.

Para os utilizadores, haverá a possibilidade de adquirir um passe no valor de 36 euros (anual), ou um bilhete diário com um custo de 10 euros. O aluguer dos equipamentos para a publicidade também representará uma grande fatia no que diz respeito ao financiamento do projeto.

Lisboa tem mesmo de esperar para que tudo isto se possa concretizar. Algumas obras de melhoramento das condições geográficas para a possibilidade da utilização das bicicletas partilhadas, que se previam estar finalizadas durante o verão deste ano, sabe-se agora que só têm data prevista de conclusão para o segundo trimestre do próximo ano.

O município lisboeta incumbiu a EMEL de efetivar estas obras de adaptação do terreno, garantindo o respeito por outros serviços ou mesmo por escavações arqueológicas.

Veja também: