Londres - Nova Iorque em menos de 4h? Sim, é possível

Richard Branson está a planear lançar no mercado um avião capaz de voar entre Londres e Nova Iorque em menos de quarto horas. 
 

Londres - Nova Iorque em menos de 4h? Sim, é possível
E a melhor parte, a preços bem simpáticos
  • O dono da Virgin prepara-se para revolucionar o mundo da aviação.

Promoções imperdíveis para dormir na Big AppleReserve Já
E se lhe disséssemos que em breve vai ser possível acordar em Londres e viajar para a América pela manhã, almoçar em Manhattan e estar de volta a Londres a tempo do jantar? A ideia, parecendo um pouco exagerada, pode estar próxima de se tornar realidade. Em breve poderá ser possível fazer a viagem Londres – Nova Iorque em menos de quatro horas. Pelo menos é isso que pretende Richard Branson.

Mais de uma década depois (13 anos, mais concretamente) de o Concorde ter deixado de voar, Richard Branson, dono da Virgin, anunciou que a sua empresa está prestes a disponibilizar voos supersónicos “acessíveis” para a América. Com este novo avião, espera-se que os voos entre Londres e Nova Iorque demorem apenas 3,4 horas, consideravelmente menos do que as atuais sete horas de voo entre as duas cidades.

E tudo graças a um novo avião: o Boom Supersónico. O avião está a ser desenvolvido no Colorado (Estados Unidos da América, pela startup Boom Technology, fundada por Blake Scholl, que antes ocupava um alto cargo na Amazon.

Mas as boas novas não se ficam por aqui. É que além de mais rápidos, espera-se que estes voos sejam também mais baratos. Só para ter uma ideia os preços podem rondar os 2200 a 4400 euros, abaixo dos 6800 euros que custava a viagem no Concorde, aquando do seu último voo.

A equipa que está a desenvolver este avião supersónico conta apenas com 11 elementos, mas entre eles estão pilotos certificados e antigos engenheiros da Boeing. O grande objetivo da empresa passa por apostar numa construção mais barata e em equipamentos mais leves.

Para já a ideia ainda está a ser desenvolvida, mas quando se tornar realidade estes aviões vão transportar cerca de 40 passageiros e viajar 2,6 vezes mais depressa do que qualquer outro avião comercial, devendo efetuar a viagem a 60 mil pés e, assim, encurtar o tempo de viagem.

A empresa vai ainda contar com a colaboração da Virgin Galactic, do grupo de Richard Branson, que deverá dar apoio em termos de engenharia, design, operações e serviços de produção, bem como, testes de aviação na base área da Virgin em Mojave Calif.

O Boom supersónico promete revolucionar o mercado aéreo e, a pensar nisso, a Virgin terá já encomendado 10 aviões à Boom Technology, segundo adianta o jornal britânico The Guardian.

E esta não será a única rota aérea que poderá ver reduzida. Estão ainda previstos voos entre São Francisco e Tóquio em menos de cinco horas. A travessia entre Los Angeles e a Austrália também pode ser reduzida para metade, passando a demorar apenas seis horas. 
Hotéis, apartamentos e quartos em Nova Iorque, a preços mínimos garantidos >>
Veja também: