Mais 900 euros por ano a cargo das famílias

Segundo a DECO, o aumento nos bens essenciais custam 900 euros por ano, além de estes pesarem 80% no orçamento familiar, portanto, o custo de vida pesa ainda mais em 2011 nas carteiras dos portugueses.

Mais 900 euros por ano a cargo das famílias

Apesar de todos nós estarmos já mentalizados que este ano é de apertar o cinto, a DECO fez mesmo contas a isso e chegou à conclusão que as famílias terão que gastar mais 900 euros por ano devido ao aumento do preço dos bens essenciais.

Estes bens essenciais chegam a pesar quase 80% no orçamento familiar dos portugueses, isto se tomarmos em conta os aumentos na luz, no gás, na água, transportes, comunicações, alimentação, etc.

Para estas contas a DECO considerou uma inflação de 2,2%, como divulgado pelo Governo e não contabilizou despesas com crédito habitação, que com certeza também irá aumentar devido à subida da taxa de juro.

Para a DECO tirar estas conclusões utilizou um exemplo de um casal de classe média com dois filhos.

Tanto o Banco Mundial como a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação manifestaram a sua preocupação para o aumento excessivo destes bens.

Este agravamento do orçamento foi ontem discutido no Parlamento através do PCP. A DECO alerta para o facto de ser necessário as famílias criarem técnicas de poupança em casa para diminuirem as facturas e adquirirem a capacidade de distinguir o essencial do que é acessório.

Neste ano de 2011 podemos então contar com redução de beneficios fiscais, aumento de preços e cortes salariais.