Marijuana na cozinha: a última tendência gastronómica de topo

A gastronomia tem na criatividade dos seus chefs uma grande mas valia: nos Estados Unidos, usar canábis na cozinha está tornar-se um fenómeno.

Marijuana na cozinha: a última tendência gastronómica de topo
Nos Estados Unidos há novos métiers culinários

O uso de marijuana na cozinha não é possível em todo o lado, mas na Califórnia, como já acontece noutros estados americanos, isso será possível em breve e sem restrições. Para já, o chef Chris Sayegh só pode servir os pratos com este ingrediente aos clientes que apresentem prescrição médica.


Canábis pronto a juntar-se ao armário das especiarias

Este jovem chef, também já conhecido como o Herbal Chef, alia toda a sua criatividade e perfecionismo na cozinha às características do canábis. O efeito final é muito subtil para que o consumidor possa usufruir da sua refeição sem efeitos secundários demasiado... extravagantes.

O uso de marijuana na culinária não é exclusivo deste chef. Vários autores de alta cozinha têm usado este novo ingrediente e prometem acrescentá-lo ao armário das especiarias mais tradicionais. Apesar de o uso recreativo ser ainda bastante limitado, há já vários estados onde tal é permitido como o Alasca, Colorado, Oregon e Washington. A Califórnia - um dos estados mais populosos dos Estados Unidos - espera juntar-se ao grupo em Novembro.

O chef de 23 anos pretende conseguir atingir as massas com os seus pratos inovadores a partir dessa altura. Para já, limita-se aos clientes privados (com autorização médica) a quem faz jantares ao domicílio, cobrando cerca de 450€ por pessoa. O negócio está em clara ascensão e prevê-se um crescimento ainda maior quando o uso recreativo da canábis for autorizado na Califórnia em Novembro.

Estes valores ajudarão a fortalecer ainda mais a indústria da comercialização legal de canábis, já bastante ativa nos Estados Unidos. Admitindo que o uso recreativo da substância se mantenha com restrições, espera-se que este setor movimente cerca de 22,8 milhões de dólares em 2020.

Veja também: