Mercado automóvel em queda

Segundo dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) houve uma quebra de 31,9% na venda de automóveis se compararmos as vendas de Agosto deste ano com o mesmo mês do ano passado. A selectividade na concessão de crédito ao consumo por parte das instituições financeiras tem um grande peso neste resultado.

Mercado automóvel em queda

Em Agosto de 2011, foram comercializados em Portugal 8.128 automóveis ligeiros de passageiros, o que significa uma quebra de 31,9% no que respeita ao mesmo mês de 2010. O previsto é que o ano 2011 seja um dos piores a nivel de vendas, já que desde o inicio do ano, a tendência tem sido de forte queda.

Ao analisar as vendas de automóveis ligeiros de passageiros, nos primeiros 8 meses de 2011, que chegaram a 114.310 unidades, conclui-se que em relação ao mesmo período de 2010 houve uma queda de 22,5%.

As restrições na concessão de crédito e as taxas de juro altas também contribuem para este cenário, já que o crédito automóvel é uma variável importante no processo de decisão de compra.

A ACAP tem , portanto, perspectivas pouco animadoras quanto à evolução do mercado automóvel e por isso espera que não exista um aumento da pressão fiscal sobre o sector, de forma a evitar o agravamento da tendência de queda do mercado que também tem efeitos perversos para a economia, devido à diminuição da receita fiscal.

De acordo com dados do INE - Instituto Nacional de Estatística, o indicador de clima económico diminuiu em Agosto, estando em queda já desde Julho de 2010; no entanto, o indicador de confiança dos consumidores estabilizou em Agosto, apesar de este resultado não ser muito animador, uma vez que se situa nos níveis registados em 2009, ou seja, o pior ano de vendas no período pós-liberalização das importações de veículos em Portugal.