Mulheres continuam a trabalhar mais por salário igual ao dos homens

As mulheres trabalham mais 61 dias no ano e ganham, em média, menos 16,7% do que os homens.

Mulheres continuam a trabalhar mais por salário igual ao dos homens
Portuguesas ganham menos e são detentoras de mais qualificações

As mulheres trabalham mais 61 dias num ano do que os homens por um salário igual, mesmo sendo detentoras de mais habilitações académicas e de experiência profissional relevante.

Quem o denuncia é a presidente da Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE), Joana Gíria, a propósito do Dia Europeu pela Igualdade Salarial que se celebra já na próxima quinta-feira.

A presidente do CITE refere que apesar de a diferença salarial entre géneros ter diminuído de 17,9% para 16,7%, entre 2013 e 2014, as desigualdades salariais entre homens e mulheres ainda são significativas, apesar dos pequenos progressos.

Na prática, esta percentagem implica que as mulheres trabalham mais dois meses num ano por um salário igual, mesmo sendo detentoras de mais habilitações académicas e de experiência profissional relevante.

Mais qualificações

A questão das qualificações ganha outra visibilidade se tivermos em consideração que as mulheres possuem ”qualificação adequada para o exercício de cargos de chefia e de topo, mas continuam a ser os homens a ocupar predominantemente tais cargos” – diz ainda Joana Gíria.

Na sua opinião, este é um estereótipo socialmente enraizado na sociedade portuguesa, o qual é preciso desfazer, pois, em Portugal, como considera, “há mais mulheres licenciadas, mestrandas e doutorandas do que homens em igualdade de circunstâncias. Está na hora de não desperdiçar capital humano e escolher pelo mérito e é tempo de o mundo do trabalho espelhar a realidade social”.

Veja também: