Novos créditos habitação em baixa

São cada vez mais concedidos menos empréstimos, porque o acesso ao financiamento é também cada vez mais restrito. A verdade é que a procura por novos créditos, especialmente, o crédito habitação, também tem diminuido porque as pessoas agora preferem alugar, devido ao elevado preço dos créditos.

Novos créditos habitação em baixa

Em termos gerais, os bancos financiaram muito menos a economia nacional, aliás, verificou-se uma queda de cerca de 20% em relação ao ano anterior.

A nível de crédito habitação, em Outubro registou-se uma queda histórica, já que em relação ao mesmo mês do ano anterior, a banca teve uma quebra de 67,63%.

É curioso como em Outubro a banca financiou 236 milhões de euros para comprar casa, quando em anos anteriores os valores estavam bem acima dos mil milhões de euros por mês em 2007 e 2009, por exemplo.

Já no final do ano passado, a banca tinha alertado para o facto de pretender fazer cortes significativos no financiamento a entidades públicas.

Também novos empréstimos para o crédito ao consumo desceu para 200 milhões de euros, o que em termos homólogos, implica uma quebra nas novas operações, de cerca de 18%. Já os créditos para educação e os empresários por conta própria, verificaram uma subida mensal de 16,15% para 302 milhões de euros.

O crédito novo concedido, perto de 3,87 mil milhões de euros, foi principalmente destinado a empresas, sendo que as familias ficaram com 738 milhões de euros.

De acordo com o Banco de Portugal, o crédito malparado atingiu o seu valor histórico, quer no que se refere às familias como às empresas.