Portagens para estrangeiros

O novo sistema para cobrança de portagens a estrangeiros está a causar muita confusão, além de descontentamento por parte de, principalmente, espanhóis, pois consideram que as portagens não favorecem em nada a cooperação entre os dois países, o que afecta os sectores do transporte e turismo.

Portagens para estrangeiros

 

Este novo sistema de cobrança de portagens associa a matrícula a um cartão de crédito, o chamado Easy Toll. Ao visitarem Portugal, os turistas são encaminhados por sinalética para o parque onde está o posto de controlo aduaneiro luso-espanhol, local onde foram instaladas as máquinas que fazem a leitura do cartão e da matrícula.

A principal crítica é apontada ao meio de pagamento que não inclui pagar em numerário, mas apenas por cartão de crédito ou débito.

O sector dos transportes, nomeadamente, a Federação Espanhola de Transportadores (Fenadismer) está completamente contra a cobrança de portagens e defende a cooperação transfronteiriça, a qual é posta em causa com estas portagens.

O sector do Turismo do Algarve, depois de assistir à Via do Infante (A22), uma antiga auto-estrada sem custos para os utilizadores (SCUT), ser transformada numa estrada portajada, revelou sempre o seu descontentamento, uma vez que tal provocaria uma quebra na entrada de espanhóis, o que iria prejudicar a principal actividade económica da região.

 

 

Veja também: