Portugal desceu oito lugares no ranking de competitividade

Portugal caiu oito posições no ranking de competitividade mundial. A culpa? Dos impostos, da burocracia, da instabilidade política…

Portugal desceu oito lugares no ranking de competitividade
Há vários culpados…

Segundo o Relatório da Competitividade Mundial (The Global Competitiveness Report 2016-2017), apresentado na AESE Business School esta quarta-feira, dia 28, Portugal caiu oito posições no ranking de competitividade mundial.

Os dados apresentados revelaram que, num conjunto de 138 países, Portugal desceu oito lugares no ranking de competitividade, ou seja, de 38º para 46º.

Aos olhos dos analistas, dos negócios e dos empresários, os maiores problemas em Portugal são as taxas e os impostos e ainda a burocracia (que chegou a ser a maior preocupação em 2014). 

A novidade é mesmo aquilo a que os empresários e analistas chamam de “preocupação com a instabilidade política”. Um fator que subiu cerca de 45% no último ano, passando do sexto lugar na lista de preocupações diretamente para o último lugar no pódio.

Já em quarto e quinto lugar surgem a preocupação com a regulamentação laboral, que também voltou a aumentar, e os regulamentos fiscais.

Mas nem tudo são más notícias! A boa notícia está na perceção dos empresários em relação ao acesso a financiamento. Apesar de ainda estar no top 6 das preocupações dos empresários, este fator tem vindo a melhorar desde 2012, primeiro ano completo depois da entrada da troika, passando de 26% para os 10% atuais.


Veja também: