Plano de Saúde Medicare

Gratuito durante 6 meses!

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt

Saber mais

Portugal está livre de sarampo e rubéola

A OMS entregou à Direção-Geral da Saúde o diploma que oficializa a eliminação de várias doenças, como o sarampo e a rubéola.

Portugal está livre de sarampo e rubéola
Apesar disso, a Direção-Geral da Saúde vai manter a vacinação

O sarampo e a rubéola estão erradicados em Portugal.

A notícia foi avançada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) que entregou na Direção-Geral da Saúde (DGS) o diploma que oficializa a eliminação destas duas doenças contagiosas.

De acordo com os dados da DGS, entre 2011 e 2014 registaram-se apenas oito casos de sarampo e rubéola em Portugal, não tendo existido qualquer tipo de contágio, graças à elevada taxa de vacinação que se verifica no nosso país. E em todos os casos, as doenças foram contraídas fora de Portugal.

A notícia da erradicação destas doenças assume ainda maior importância numa altura em que a OMS revela que tanto na Europa como nos Estados Unidos da América (EUA) se luta contra surtos de sarampo e rubéola devido à baixa taxa de vacinação.

Mas as boas notícias não se ficam por aqui. Além do sarampo e da rubéola, o certificado da OMS revela ainda a erradicação de outras cinco doenças do território português. São elas a malária, a varíola, a poliomielite (paralisia infantil), a difteria e a raiva humana.

Com a eliminação destas doenças, o país fica colocado na lista dos mais bem-sucedidos em termos de erradicações a nível mundial.

Em declarações ao Diário de Notícias, o diretor-geral da Saúde, Francisco George, realçou a importância da vacinação para estes resultados. “Este é o resultado de um grande trabalho conduzido ao longo dos anos. É um prémio que distingue o Serviço Nacional de Saúde. As mães que agora não lidam com o sarampo devem saber que é uma doença muito grave, com febre muito alta e que era adquirida por todas as crianças”, disse.

Apesar dos bons resultados, a DGS vai manter no programa nacional de vacinação as vacinas contra o sarampo e a rubéola. 

Veja também: