Portugueses percebem muito de poupança mas pouco de literacia financeira

A poupança é um dos pontos fortes dos portugueses. Mas a literacia financeira… nem por isso.

Portugueses percebem muito de poupança mas pouco de literacia financeira
Conceitos complexos ainda são desconhecidos.

Segundo o inquérito nacional à literacia financeira, realizado pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, os portugueses são bastante fortes ao nível da poupança. O documento, disponibilizado na passada semana, permite perceber que os portugueses possuem valores elevados de integração financeira (92,5% das pessoas têm depósitos à ordem e 73% têm seguro) e conseguiram melhorar os hábitos de poupança (59% dos inquiridos afirmou poupar dinheiro com regularidade).

Contudo, apesar de serem fortes ao nível da poupança, os portugueses revelam também uma grande incapacidade de reconhecer e explicar vários conceitos financeiros e económicos. “Em termos de conhecimentos financeiros, as respostas continuam a revelar algumas lacunas, tanto em questões gerais de numeracia financeira, como em conceitos diretamente relacionados com produtos financeiros", revelou o Banco de Portugal em comunicado. 

O inquérito nacional à literacia financeira permitiu perceber que menos de 50% dos portugueses sabe o que é a franquia de um seguro. Para além disso, apenas 39,5% sabe explicar os efeitos dos juros compostos e só 21,4% sabem o que é o spread e as Euribor. O pior resultado do inquérito acabou por surgir na área dos mercados acionistas, onde apenas 4% dos inquiridos soube explicar o significado de capital garantido num valor mobiliário.

"Os grupos populacionais com maiores défices de literacia financeira são os jovens e os idosos, os estudantes, os desempregados, os aposentados e as mulheres, bem como os que têm baixos níveis de escolaridade e de rendimentos", concluiu ainda Banco de Portugal.


Veja também: