Portugueses voltaram a investir nos Planos Poupança Reforma

Inseguros e apreensivos, os portugueses não têm a certeza de que exista dinheiro nos cofres do Estado para pagar as reformas quando chegar a altura. Talvez por isso invistam cada vez mais em Planos Poupança Reforma.

Portugueses voltaram a investir nos Planos Poupança Reforma
O investimento nos PPR aumentou consideravelmente no primeiro semestre do ano
  • A instabilidade financeira leva os portugueses e tomarem medidas de precaução

Desde 2010 que em Portugal não se investia tanto nos Planos Poupança Reforma. Quem o diz é o Diário Económico que avança em notícia os dados divulgados pela Associação Portuguesa de Seguradores. Só no primeiro semestre de 2014, as famílias portuguesas voltaram a investir fortemente nos Planos Poupança Reforma, registando-se um crescimento de cerca de 77,5% face ao mesmo período homólogo de 2013.

Numa altura em que se fala em recuperação económica mas, por outro lado, sabe-se que grande parte das famílias ainda está a passar por fortes dificuldades económicas, os portugueses resolveram investir mais nos Planos Poupança Reforma, acreditando que este investimento dará frutos no futuro. 

Só nos primeiros seis meses do ano, o nível de investimento rondou os 1.183 milhões de euros em novas entradas. Segundo os dados da Associação Portuguesa de Seguradores, “este é o valor mais elevado desde final de 2010, último ano em que os PPR usufruiram de benefícios fiscais atractivos”.

Diogo Teixeira, administrador da gestora de fundos Optimize, assegura que  “ao assistirem aos tipos de fragilidades a que a banca está exposta, os portugueses estão a tomar precauções em relação à concentração do risco dos seus investimentos”. Já Filipe Garcia, da IMF, acredita que “os PPR passaram a ser um veículo de poupança diferente daquilo que acontecia e estão a ser utilizados como veículo de canalização de poupança alternativos aos depósitos”, conclui.


Veja também: