Poupança das famílias volta a cair

Enquanto em 2014 as famílias conseguiam poupar cerca de 5,2% do seu rendimento, em 2015 só conseguiram poupar 4,4% desse mesmo rendimento.

Poupança das famílias volta a cair
Os dados são de 2015 e mostram valores mínimos dos últimos 20 anos.

A poupança das famílias portuguesas voltou a cair em 2015 face a 2014 e representava, no ano passado cerca de 4,4% dos rendimentos familiares disponíveis, segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística.

Poupanças familiares em queda

O Instituto Nacional de Estatística disponibiliza dados sobre as poupanças familiares portuguesas desde 1995, altura em que a taxa de poupança rondava os 12,5% do rendimento disponível. Em 2011, quando Portugal pediu ajuda financeira externa, o valor já era de 7,5%. O período que se seguiu foi de moderada recuperação, que acabou por se inverter em 2014, quando a taxa de poupança atingiu os 5,2%. A tendência de queda manteve-se em 2015 e, pelo menos, na primeira metade do ano corrente.

Os valores referentes a 2016 ainda são trimestrais mas indicam uma continuação da queda, atingindo os 3,9% do rendimento familiar.

Os dados são corroborados pelos valores apresentados pelo Banco de Portugal, que aponta uma taxa de poupança dos particulares de 4,3% do rendimento disponível em dezembro de 2015 e de 3,5% em março deste ano.

Estes dados preocupam, especialmente na ressaca do Dia Mundial da Poupança, celebrado esta segunda-feira.


Veja também: