Como saber se o seu protetor solar está fora de prazo

Nesta época balnear, porque é que devemos usar protetor solar? E, como sabemos se o protetor solar que temos está ou não em condições?

Como saber se o seu protetor solar está fora de prazo
A exposição ao sol necessita de proteção, mas convém que o protetor esteja dentro do prazo!

Protetor solar fora de prazo? Antes de mais, convém relembrar que a radiação ultravioleta, que faz parte dos raios solares, não perdoa nos seus efeitos nocivos e, por isso, mais vale prevenir do que remediar.

O tempo que a pele leva para ficar queimada ou pigmentada varia de pessoa para pessoa, de acordo com a cor da pele e a sensibilidade ao sol. Uma dica: se se fica vermelho mesmo com pouca exposição ao sol, há que usar um fator de proteção solar (FPS) alto, de 50 ou 60.

protetor solar deve ser aplicado antes de sair de casa (sim, dá trabalho, mas tem que ser!), pois se o colocarmos apenas na praia já nos expusemos ao sol durante algum tempo sem qualquer proteção.

protetor solar fora de prazo

Devemos ainda reaplicar o protetor a cada duas horas ou mesmo antes, no caso de transpirarmos muito ou irmos à água várias vezes. É que mesmo que o produto seja resistente à água, a reaplicação é necessária, por isso não devemos facilitar.

A areia e a água do mar refletem a radiação solar, como tal, mesmo na sombra podemos queimar-nos. Ainda por cima, sucede que, não raras vezes, caímos na tentação de aproveitar o protetor solar do ano anterior.  E aqui há que ter muito cuidado…

A melhor maneira de saber se o protetor está fora do prazo é reparar no cheiro e na textura do produto. Se estas características estiverem diferentes do que quando o comprámos, algo pode estar errado. Neste caso, é melhor simplesmente deitá-lo fora. Alguns chegam a ter um prazo de validade expresso, mas existem outros que não.

protetor solar fora de prazo

Usar ou não protetor solar fora de prazo? Sempre poupa algum dinheiro…

Esqueça a poupança

O sol sem proteção adequada pode causar queimaduras, fotoenvelhecimento e até cancro de pele. O resultado pode levar anos para aparecer, mas, acredite, ele aparece.

O que é que o protetor solar do ano passado perdeu?

Além de poder oferecer uma proteção ineficaz, o protetor solar fora de prazo pode gerar desde o aparecimento de irritações na pele, até uma forte reação alérgica.

Porquê?

Os protetores solares devem ser conservados em local seco, à temperatura ambiente e ao abrigo da luz solar direta. Ora, na praia é realmente pouco fácil que isso aconteça, não é?

Em casa, o frigorífico não é um bom sítio para os guardar, nem a casa de banho, a qual, geralmente, é uma divisão húmida da habitação. Mas onde os guardamos habitualmente? Não devemos tê-lo no carro durante as férias, pois também aqui o calor fá-lo sofrer alterações ao nível da formulação.

Por todas estas razões torna-se difícil conseguir que o protetor do ano passado, pese embora ainda contenha algumas propriedades, seja totalmente eficaz nesta cruzada contra os possíveis malefícios do sol.

Veja também: