Quanto custa o dinheiro que pede emprestado?

Antes de pedir dinheiro emprestado, conheça as definições das taxas de juro.

Quanto custa o dinheiro que pede emprestado?

O crédito permite-lhe aceder a bens de consumo que de outra forma não seria possível. Os bancos emprestam esse dinheiro para que possa comprar agora e ir pagando. Mas não o fazem de graça: as taxas de juro reflectem o valor que os bancos cobram por lhe permitirem realizar a sua necessidade agora, sem precisar de esperar anos, às vezes uma vida, para conseguir “juntar” o dinheiro todo. Os bancos quando emprestam esperam receber o que emprestaram mais o valor correspondente a essa antecipação. 

 

Conheça as designações técnicas das diferentes taxas de juro:


TAN - Taxa Anual Nominal

Usa-se em operações que envolvam o pagamento de juros, podendo ser remuneração dos depósitos ou a determinação das prestações. A TAN é anual, pelo que deve dividir por 12 para a correspondência mensal, por 4 para a trimestral e por 2 para correspondência semestral.

 

TAE - Taxa Anual Efectiva

Revela o custo efectivo de um crédito habitação. A TAE é um indicador por excelência para comparar estes créditos: é a taxa de juro para um empréstimo, na qual está incluído encargos, comissões e impostos. A TAE não reflecte, no entanto, encargos com seguros ou produtos associados ao crédito habitação.

 

TAEG - Taxa Anual Efectiva Geral

À semelhança da TAE para os créditos habitação, a TAEG revela o custo efectivo de um crédito pessoal. Neste caso, a da TAEG inclui os custos com seguros do crédito.

 

TAER - Taxa Anual Efectiva

A TAER tem que constar nas simulações de crédito habitação sempre que, para reduzir o spread, tenha que subscrever produtos bancários. A TAER reflecte o custo efectivo do crédito habitação quando são exigidas contrapartidas pelas entidades credoras.