Novo estudo confirma: quem convive mais vive mais

De acordo com um estudo da Universidade da Califórnia, quanto mais tempo passar com a sua mãe, mais anos ela viverá.

Novo estudo confirma: quem convive mais vive mais
A solidão pode matar

Convidar a avó para jantar mais vezes lá em casa pode mesmo ajudar a que ela tenha uma vida mais longa, além de que aumentará também a sua qualidade de vida. O estudo foi efetuado pela Universidade da Califórnia e os resultados parecem indicar que a solidão tem um papel preponderante no envelhecimento.


Conviva mais para viver mais

Os investigadores analisaram 1600 adultos, com uma idade média de 71 anos, e verificaram que os idosos que sofriam de solidão apresentaram uma taxa de mortalidade mais elevada. Quase 23% dos participantes caracterizados pela solidão morreram nos seis anos do estudo, em oposição aos 14% que revelavam ter mais convívio familiar.

Barbara Moscowitz, assistente social no Hospital de Massachusetts, afirma que a necessidade de convivermos com as pessoas de quem gostamos e que nos trazem alegria mantém-se sempre ao longo da vida. Os mais velhos dão muito valor às relações afetivas, capacidade que aperfeiçoam ao longo de uma vida inteira.

Os mais velhos mostram-se, por exemplo, bastante mais tolerantes perante as imperfeições dos seus amigos do que os adultos de uma forma geral. A experiência de vida faz com que as amizades sejam vividas com mais sensatez.

Para além da importância de convidarmos os nossos parentes com mais idade para conviverem mais connosco, também é importante conseguirmos encorajar que eles mantenham outro tipo de relacionamentos sociais, uma vez que é essencial que os mais velhos convivam, por exemplo em lares ou casas de dia, uns com os outros.

Assim, passar tempo de qualidade com os nossos pais e avós é benéfico não só para eles que podem ter uma vida mais longa, mas também para nós que podemos aproveitar as suas histórias e afeto. 

Veja também:

Continuar a Ler