Receba no seu e-mail toda a informação sobre Investimentos e Depósitos!

Saiba primeiro as novidades na área dos Investimentos e garanta as melhores condições para os seus Depósitos.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt e pelos nossos Parceiros

Enviar

Reforma na Segurança Social: más notícias para os portugueses

O aumento da esperança média de vida tem vindo a alterar a forma como o sistema social está montado. A curto prazo, será inevitável apostar numa reforma da Segurança Social.

Reforma na Segurança Social: más notícias para os portugueses
No futuro, serão contempladas novas formas de garantir as pensões

Em declarações, o Presidente da Associação Portuguesa de Seguradoras revela que a longevidade das pessoas é cada vez maior o que, a longo médio prazo, irá por em causa vários moldes sociais aos quais estamos habituados. Em média, sabe-se que as pessoas estão a viver mais ou ano, sendo que este prolongamento da vida “está a fazer com que os custos de saúde aumentem de uma forma brutal”, garante Seixas Vale, acrescentando ainda que “estas questões levam a que uma reforma na Segurança Social seja completamente inevitável”.

Mas há mais notícias menos positivas. Segundo Seixas Vale, grande parte dos Governantes do país “nunca conseguiu admitir que aquilo que as pessoas têm descontado para a formação da sua pensão não é suficiente. Aquilo que os portugueses pensam que é um direito que resultou de uma contribuição, não funciona dessa maneira. Funciona sim como sistema de repartição no qual a Segurança Social está assente”.

O Presidente defende que são os jovens que têm eventualmente de “contribuir mais”, não deixando de ter presente que não haverá dinheiro suficiente para manter, no futuro, o "nível de pensões" que estão agora contemplados no actual sistema da Segurança Social.

Em jeito de conclusão, Seixas Vale assume que não podemos continuar a pensar que este é um problema financeiro porque não é. “É um problema de evolução de sociedade”, garante.


Veja também: