Reformas em risco

De acordo com um estudo sobre poupança, é bem possivel que as reformas de muitos portugueses estejam em risco e as pessoas passem a ganhar de reforma pouco mais de metade do seu ordenado. A tendência é para que deixe de existir o conceito de Estado Social, de acordo com o professor catedrático, Fernando Alexandre, um dos responsáveis por este estudo.

Reformas em risco

A Associação Portuguesa de Seguradores (APS) divulgou um estudo sobre poupança que revela que brevemente as reformas passarão a ser apenas de 60% do ordenado.

Um dos envolvidos neste estudo, Fernando Alexandre, professor catedrático da Universidade do Minho, afirma que apesar das pessoas não se estarem a aperceber dessa possivel realidade, o facto é que está a chegar ao fim o conceito de Estado social.

De acordo com o professor, desde a reforma da Segurança Social em 2007, a qual foi promovida pelo ministro na altura, Vieira da Silva, portugueses que actualmente têm entre 30 e 40 anos de idade quando se reformarem vão ver os seus rendimentos diminuirem para 60%.

É provável que quando os portugueses perceberem que tal irá acontecer, exijam então, um sistema de capitalização para as suas reformas.

Outra conclusão do estudo é que grande parte das famílias não poupa e que tal acontece em pessoas na casa dos 30  e com formação superior. Além disso, 20% das famílias com maior rendimento representam 90% da poupança em Portugal.

Se se reconhece nesta realidade, está na altura de começar a poupar e procurar formas de rentabilizar as suas poupanças, já que cada vez menos poderemos contar com o Estado.