Shell e Total de regresso a Portugal

Shell e Total de regresso a Portugal? Os combustíveis estão de regresso ao passado…

Shell e Total de regresso a Portugal
Ainda se lembra?

Shell e Total de regresso a Portugal – não só rima como também se afigura como uma boa notícia. As duas operadoras tinham parado as operações no país há 12 e oito anos, respetivamente, e estão agora de regresso para aumentar a concorrência no setor dos combustíveis.

As duas operadoras deverão retomar as operações no final de 2016 e em janeiro de 2017, respetivamente, como anunciou a Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC).

Em comunicado, a ENMC informou que a Shell iniciará a sua atividade em Portugal até ao final do ano, 12 anos depois de ter abandonado o mercado português. A gaulesa Total também regressa já em janeiro de 2017, após oito anos de ausência, depois de ter vendido a sua rede à CEPSA.

"Estes investimentos são positivos, pois vão ao encontro de um desejado aumento da concorrência no setor dos combustíveis em claro favor dos consumidores portugueses, mas sobretudo é um voto de confiança no Governo e no seu desejo de abertura logística do mercado", sublinhou a ENMC.

O regresso destas empresas acontece devido à entrada em funcionamento do porto da Trafaria que será o "primeiro porto de abastecimento de combustíveis em águas profundas não controlado pelo único refinador nacional", a portuguesa Galp.

Numa análise realizada ao mercado dos combustíveis relativamente ao mês de julho, as três principais marcas - Galp, BP e Repsol - venderam cerca de 60% do combustível enquanto as “outras marcas” representaram 21% das vendas. Já os postos de combustíveis dos hipermercados aparecem na terceira posição com quase 19% do combustível vendido.


Veja também: