Simulação para poupar no telemóvel

Segundo um estudo da DECO, a maioria das pessoas podia poupar muito mais na factura do telemóvel se fizesse algumas comparações entre os tarifários existentes das várias operadoras. No entanto, a DECO vem facilitar a vida do consumidor e disponibiliza um simulador que mostra que, por ano, é possivel poupar até 223 euros em telemóvel.

Simulação para poupar no telemóvel

Os portugueses são bastante receptivos às telecomunicações e a prova disso é que vivemos num país  com 13 milhões e 200 mil telemóveis, no fundo, mais telemóveis do que pessoas.

Já que assim é, pelo menos deveríamos optar pelo tarifário mais adequado ao nosso perfil. Tal decisão só pode ser tomada depois de perder algum tempo a analisar e comparar tarifários e fazer as contas.

De acordo com um estudo realizado pela DECO, quase 74% dos utilizadores podiam gastar menos dinheiro em telecomunicações. O estudo foi realizado através da análise dos 145 tarifários de todas as operadoras, assim como os vários perfis de utilizador. A conclusão retirada é que pode-se poupar em telemóvel até 223 euros por ano.

Numa altura como esta, qualquer poupança é bem vinda. Se quiser, pode fazer uma simulação no site da DECO para descobrir o tarifário mais adequado à sua utilização.  

Cada vez mais populares, apesar da mensalidade ter quase duplicado, são os tarifários que proporcionam chamadas, SMS e MMS gratuitas dentro da mesma rede, sendo também mais comum encontrar alguém com um tarifário pré-pago do que pós-pago.

Aliás, de acordo com um estudo da Autoridade da Concorrência (AdC), as chamadas de telemóvel em Portugal, no regime de planos pós-pagos, são mais caras que na média europeia, sendo mais baratas nos pré-pagos, onde está a maior parte da base de dados de clientes.

Outra conclusão deste estudo é que o nível de concentração no mercado móvel está a aumentar, isto porque a TMN e a Vodafone respondem por 83% do mercado, valor superior ao verificado em anos anteriores. Tal concentração pode ser explicada pelo reduzido nível de mobilidade dos consumidores, devido à questão da rede, naturalmente associada a este tipo de serviço.